Mais uma rodada do Brasileiro, mais uma derrota (a quinta na competição), e a lanterna como “prêmio” pelo que até agora não foi feito. O Cruzeiro tem agora nas mãos a lanterna da competição, após a derrota por 2 a 0 para o Grêmio, como ônus por aquilo que não fez dentro e fora de campo. Ainda sem ter conseguido apresentar atuações regulares, sofrendo com os desfalques constantes e a juventude do seu grupo de jogadores, a Raposa também peca pela falta de contratações de jogadores experientes, que serviriam para equilibrar o grupo celeste.

A janela de transferências será aberta nesta segunda-feira, no mesmo dia em que Paulo Bento completa 47 anos, e será a hora da verdade para a diretoria.Cobrada pelos torcedores, a presidência e seus diretores de futebol têm o desafio de tornar realidade algumas tentativas já realizadas no mercado e anunciar jogadores “medalhões”, com já experiência no futebol, que seriam importantes para equilibrar o grupo e guiar a equipe para a porta de saída da zona de rebaixamento.

LEIA MAIS>>> Paulo Bento admite pior jogo do Cruzeiro sob seu comandoPara o ataque, setor muito criticado pela falta de pontaria e também da ausência de um homem gol, o Cruzeiro tenta a contratação de Rafael Sóbis, que está no Tigres, do México, e de Nilmar, jogando atualmente no Al Nasr, dos Emirados Árabes, mas a questão financeira pesa em ambas as negociações. Mesma situação nas investidas em dois laterais: Maicon, que não irá renovar com o Roma, e Maxwell, que tem acerto próximo com o PSG para renovar contrato.

Mas o lateral que está perto mesmo é Douglas, do Barcelona, que precisa apenas acertar os detalhes do contrato com o Cruzeiro para ser anunciado. O setor esquerdo é o mais preocupante, já que Bento só tem Bryan para a posição.

O certo é que o Cruzeiro precisa dos jogadores com esse tipo de DNA – necessidade já identificada pela diretoria -, que cheguem para ser titulares e assumir a condição de líderes do grupo cruzeirense, principalmente em momentos complicados como o que vive a Raposa. Paulo Bento tem sido obrigado a escalar equipes muito jovens, em termos de média de idade, e isso tem pesado nas atuações, como até ele mesmo confessou após a derrota por 2 a 0 para o Grêmio.

Apesar de o treinador ter dito que a idade não é um peso.- A bagagem é um fato, não falei nada mais sobre isso, é uma verdade.

O treinador escolhe em função daquilo que ele acha que é melhor para a equipe, em características técnicas, físicas e psicológicas. Idade não é critério.

É normal jogadores mais jovens cometerem erros, por terem menos experiência. A idade não será fator para eu escolher meus jogadores.

Quando comecei minha carreira, comecei com jogadores de pouca idade, que hoje são de alto nível. Oxalá isso possa acontecer com o Cruzeiro.

Passaremos por problemas, mas não pela idade dos jogadores. Assumo os erros e as responsabilidades.

Na última colocação com oito pontos, o Cruzeiro terá semanas decisivas até 19 de julho, quando a janela de transferências será fechada novamente. E também momentos importantes em campo, já que tentará sair da zona do rebaixamento do Brasileiro.

O próximo jogo pela competição será contra a Ponte Preta, quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, pela 10ª rodada.
.

Fonte: Globo Esporte