São os atacantes que dominam as apostas dos treinadores dos times da Série A do Brasileirão. O Espião Estatístico analisou 1.224 substituições feitas neste ano pelos clubes que vão disputar a primeira divisão e descobriu que os goleadores são os que mais saem e os que mais entram quando os técnicos decidem mexer em suas equipes.

Das 1.224 mudanças realizadas, 457 foram usadas para tirar um atacante de campo (37%) e 505 para colocar um artilheiro no jogo (41%).

Das 457 vezes em que um atacante foi sacado, em 219 oportunidades o time vencia (48%); em 160, o time empatava (35%); e em apenas 78 vezes um goleador deixou o campo enquanto seu time estava em desvantagem no placar (17%). Ou seja, de cada dez substituições de atacantes, menos de duas ocorrem quando a equipe está perdendo.

Das 505 vezes em que um atacante foi para o jogo como substituto, em 178 seu time estava vencendo (35%); em 199, sua equipe estava empatando (39%); e em 128 ocasiões o time estava perdendo (25%).Os meias ofensivos são o segundo grupo que mais deixa e entra em campo nas substituições, mas, diferentemente dos atacantes, mais saem do que vão para o jogo.

Das 417 substituições de meias, 176 foram realizadas quando a equipe estava vencendo (42%), 162 ocorreram quando a equipe empatava (39%), e apenas 79 se deram quando a equipe perdia (19%). Os meias foram chamados para entrar durante as partidas em 374 oportunidades.

Em 154 dessas vezes a equipe vencia (41%), em 141 vezes o time empatava (38%), e em 79 vezes o time perdia (21%).A arte acima mostra quantos jogadores de cada posição deixaram o campo.

Ao lado, as cores mostram quantos jogadores de cada posição os substituíram. Por exemplo, 29 zagueiros deixaram o campo e em seus lugares entraram três atacantes, um meia, um volante, um lateral e 23 zagueiros.

Os números mais à direita mostram a soma de vezes que jogadores de cada posição entraram em campo, ou seja, saíram 29 zagueiros e, no total, entraram 44 zagueiros, nove no lugar de atacantes, um no lugar de um um meia, cinco no lugar de volantes, seis no lugar de laterais e 23 no lugar de outro zagueiro.Apenas dois goleiros foram substituídos.

*A equipe do Espião Estatístico é formada por: Caio Filho, Guilherme Maniaudet, Guilherme Marçal, Leandro Silva, Rafael Chimelli, Valmir Storti e Wilson Hebert.
.

Fonte: Globo Esporte