A segunda comissão disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) absolveu Atlético-MG e Cruzeiro pelos incidentes registrados no clássico do dia 12 de junho, no Independência (relembre como foi o jogo no vídeo acima). A entidade acabou não penalizando as duas equipes e não aumentou as punições dos atletas expulsos, que foram citados na súmula do árbitro Marcelo Aparecido de Souza.O Atlético-MG, time mandante naquele dia, foi julgado pelo arremesso de objetos vindos de ambas as torcidas.

Caso fosse considerado culpado, o clube podia ser punido com multa de até R$ 100 mil. O Cruzeiro foi absolvido na denúncia por atraso na entrada em campo, o que teria provocado o atraso do início da partida, e também pelo lançamento de um “galo de borracha” em campo, por parte de torcida visitante, o que não foi comprovado.

Além dos clubes, cinco jogadores também foram a julgamento na sessão desta terça-feira. Pelo lado atleticano, Fred foi advertido por conduta contrária à disciplina, quando tentou esconder da arbitragem um chinelo arremessado em campo pela torcida atleticana.

Marcos Rocha levou apenas um jogo de suspensão, já cumprido, aos ser expulso em uma briga em campo. No entanto, o lateral-direito está fora da partida diante do Botafogo, na quinta-feira, às 21h (de Brasília), por ter levado o terceiro amarelo no clássico contra o América-MG, na rodada passada.

Pelo lado do Cruzeiro, Bryan, Lucas e Romero receberam o cartão vermelho no clássico. O lateral-esquerdo acabou apenas advertido, enquanto o lateral-direito e o volante pegaram um jogo de suspensão, que já foi cumprido.

Com isso, o trio está disposição do técnico Paulo Bento para o jogo desta quarta-feira, às 21h, contra a Chapecoense, em Santa Catarina. Por último, o auxiliar Ricardo Peres, do Cruzeiro, foi julgado por desrespeitar os limites da área técnica.

Ele também foi apenas advertido na sessão desta tarde no STJD.
.

Fonte: Globo Esporte