A melhora técnica e os três jogos sem perder do Cruzeiro, nas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro, ainda não foram suficientes para mudar um dado negativo. O time tem a pior defesa da competição, com 34 gols sofridos em 20 rodadas, o que representa a péssima média de 1,7 gol por jogo. Mano Menezes já dirigiu o time em quatro partidas, e, mesmo com a nítida evolução do time em campo, o número de vezes em que a defesa foi vazada ainda é alto: sete gols em quatro jogos, média de 1,75.

Sem o goleiro Fábio, que fica parado por oito meses, o treinador e o clube apostam nas “pratas da casa” para a sequência do Campeonato Brasileiro.  – Não
tenha dúvida de que Fábio é um ídolo do clube, da torcida, é o jogador que mais
fez jogos pelo Cruzeiro.

A gente perdeu ele. Mas no futebol, embora
reconheçamos a importância do capitão, não é permitido remoer ausência.

Precisamos acreditar naqueles que estão aqui. O Lucas está, o Rafael está, o
Elisson está.

O Lucão também. Disse isso para a direção: quero permanecer com
os goleiros que temos, pois existe confiança em todos eles.

LEIA MAIS>>> Mano Menezes confirma Romero no time titular>>> Vitória + tropeços: veja o que o Cruzeiro precisa fazer para deixar o Z-4O treinador cruzeirense admite a seriedade do problema na defesa e já diagnosticou o que os jogadores têm que fazer para melhorar o desempenho defensivo do time.- É muito
difícil fazer boa campanha, sofrendo tantos gols, mesmo com equipe com boa
capacidade de fazer gols como a nossa.

Há carga grande para suprir os gols
sofridos. Se toma dois, tem que fazer três para vencer.

E nem sempre é
possível. Temos que entender o futebol como ele é: não adianta só criar, fazer
bonito; é preciso marcar, compactar e minimizar as chances dos adversários.

Precisamos acreditar naqueles que estão aqui. O Lucas está, o Rafael está, o
Elisson está.

O Lucão também. Disse isso para a direção: quero permanecer com
os goleiros que temos, pois existe confiança em todos elesO zagueiro Bruno Rodrigo também mostra preocupação com o tema.

Ele, que foi titular em 16 dos 20 jogos, espera que o time evolua neste quesito.- A gente tem que fazer de tudo para não levar gols durante o jogo.

Infelizmente, estamos tomando gols. Eu, como defensor, não gosto disso.

A equipe toda se sente assim também. Se a equipe não leva gols, é só marcar uma vez para vencer o jogo.

Então precisamos focar nisso.Lucas FrançaO Cruzeiro volta a campo no próximo domingo, às 18h30 (de Brasília), quando enfrenta o Figueirense, em Florianópolis.

O goleiro do time, mais uma vez, será Lucas França, que substitui o titular Fábio, machucado. Bruno Rodrigo afirma que os jogadores mais experientes confiam no trabalho de Lucas e que vão fazer de tudo para deixá-lo confortável em campo.

– Acho
que a gente tem que passar tranquilidade para ele. É um garoto, tem muita coisa
pela frente e muito potencial.

Não à toa está no Cruzeiro. Para dar
tranquilidade, às vezes despachamos uma bola para a frente em vez de recuar,
até para que ele vá pegando confiança.

Há várias coisas que temos que fazer
para que ele se sinta mais confiante.
.

Fonte: Globo Esporte