BOTA, FLU E FLA: OS MENOS PUNIDOScruzeiro e inter “não sabem bater”Os três cariocas são os clubes menos punidos com cartões, o Cruzeiro “não sabe bater”, e o Internacional é o time mais violento do Campeonato Brasileiro. Essas são as conclusões a que o Espião Estatístico chegou, a partir da análise dos dados relativos a punições com cartão amarelo e vermelho na edição atual da Série A. Será tudo coincidência ou há ligação com estilo de jogo e desempenho dos times na tabela? Explicaremos a seguir.

01BOTA, FLU E FLA: OS MENOS PUNIDOSPodemos, sim, chamar de coincidência que justamente os clubes do Rio de Janeiro formem o Top 3 dos times com menos cartões no Brasileirão. Botafogo, Fluminense e Flamengo possuem esquemas táticos e posturas em campo diferentes, ocupam posições bem distintas na tabela e, curiosamente, possuem esse ponto em comum.

Para uma equipe que atua com três volantes e impõe sistema de forte marcação, média inferior a dois amarelos por partida – e nenhuma expulsão – merece ser elogiada. Dez dos 24 cartões, inclusive, eram “evitáveis”, pois vieram de reclamação, cera, atitude antidesportiva e mão na bola.

Exemplo da lealdade alvinegra é o volante Airton, um dos responsáveis pelo recente crescimento do time. Deixou a fama de violento para trás e tem média de menos de duas faltas cometidas por partida.

Já o Flu levou 80% de seus 25 cartões em faltas mais duras (carrinho, puxão, calço, cotovelada, etc), ou seja, opta por faltas táticas, como matar contra-ataques. O Flamengo, apesar de figurar entre os menos advertidos, já teve três expulsões (Everton, Fernandinho e César Martins).

É claro que o mérito de não ser tão punido pelos juízes está intimamente ligado a cometer um menor número de faltas – não por acaso, os cariocas estão também no “G-4” das equipes com menos infrações – mas somente isso não basta. O Cruzeiro que o diga.

01CRUZEIRO E INTER “NÃO SABEM BATER”Você viu ali em cima que o Cruzeiro é o lanterna no ranking de cartões recebidos. Agora, se olhar na lista aqui embaixo, verá a Raposa na parte de cima, com apenas 209 faltas até o momento.

É muito cartão para pouca infração. Como explicar?O Cruzeiro de Paulo Bento já levou 40 cartões só em entradas mais ríspidas.

Só neste tipo de falta violenta/tática punida, ele já supera o total de punições de 17 equipes da Série A. Reclamações geram só três amarelos, por exemplo.

O número de expulsões é o mais alto da elite: cinco, sendo que o volante Lucas Romero e o lateral-direito Lucas já foram para o chuveiro mais cedo duas vezes cada. O lateral-esquerdo Bryan foi o outro expulso de campo.

É possível concluir que o time procura matar as jogadas adversárias com faltas na maioria das vezes e acaba errando a mão ou se precipitando, o que gera os cartões. Vale citar também a quantidade de estrangeiros no elenco (no total, sete jogaram a Série A), sobretudo os que chegaram nesta temporada, e que ainda precisam se adaptar aos critérios da arbitragem brasileira.

O Internacional, recém-assumido pelo técnico Falcão, ao menos mantém a coerência: comete faltas em excesso, recebe cartões na mesma medida. Boa parte dessa estatística se deve ao estilo implementado pelo ex-treinador, Argel Fucks.

A proposta com três volantes protegeu bem a defesa, que levou apenas 14 gols em 15 partidas, mas veio acompanhada de uma significativa contrapartida em termos de cartões. Foram 48 amarelos, maior marca da Série A, e uma quantidade de faltas muito superior à dos adversários: 272, mais de 18 por jogo.

Paulão e Fernando Bob figuram entre os atletas que mais foram “premiados” com amarelo em toda a competição, com cinco advertências – somente Samuel Xavier (Sport), Zeca (Santos) e Bruno Viana (Cruzeiro) levaram mais, com seis. Falcão deu mostras de que pretende deixar o esquema mais criador do que destruidor, com dois volantes e dois meias, como fez diante do Palmeiras.

Será que sobra para o Vitória liderar a lista dos times mais faltosos?*A equipe do Espião Estatístico é formada por: Eduardo Aires, Guilherme Maniaudet, Guilherme Marçal, Leandro Silva, Rafael Chimelli, Roberto Teixeira, Valmir Storti e Wilson Hebert.
.

Fonte: Globo Esporte