O moral do time e do cruzeirense está lá em cima. A desconfiança sempre pairou sobre os comandados de Deivid e também sobre o treinador, apesar de o Cruzeiro ser o líder do Campeonato Mineiro e ainda sem ter perdido no Estadual. A vitória no clássico (confira os lances no vídeo acima), neste domingo, serviu para dar mais confiança ao trabalho iniciado no começo da temporada.

Mas, muita calma. O técnico celeste disse que não se pode empolgar apenas com uma vitória.

O objetivo é bem claro: o título. LEIA MAIS>>> Rafael garante vitória e explica provocação: “Tem que brincar”- Ganhar clássico sempre é gostoso, ainda mais aqui, da
rivalidade que a gente sabe que existe, é um campeonato à parte.

Não adianta nada
ganhar o clássico e perder o título. Quero ganhar o título também.

Não ganhamos nada ainda, só um clássico. Demos um
passo grande.

Temos dois jogos para consolidar o segundo turno. Agora vamos
segurar um pouco com os jogadores, para a gente trabalhar com mais
tranquilidade e conseguir mais vitórias – ressaltou o treinador.

Com o resultado, a Raposa chegou aos 23 pontos, abrindo seis pontos para o Atlético-MG, após a vitória no Independência. O time precisa de apenas um empate nas duas últimas rodadas da primeira fase para assegurar a primeira colocação.

Para Deivid, o resultado foi devido, muito, à postura dos jogadores.- Acredito que, depois desse jogo, a gente ganha mais confiança,
fica mais preparado para, quando chegar a decisão, a gente esteja legal.

Da forma como trabalhamos, com todo mundo comprometido, é muito importante. Jogar
com a bola, eu falo com eles, eles sabem jogar, mas sem bola temos que ter ímpeto
e comprometimento.

Hoje foi importante: atitude, personalidade para
tomar iniciativa do jogo. Isso foi bom.

O treinador foi perguntado ainda sobre as atuações de Fábio –  que salvou o Cruzeiro em pelo menos quatro lances – e Allano, a surpresa na escalação para o clássico.- Todos jogaram bem.

O Fábio fez defesas maravilhosas, como
vem sempre fazendo, é goleiro de Seleção, com todo respeito, ele provou mais
uma vez a grandeza que é. Por isso que é ídolo do clube.

O Allano coloquei como ano passado, contra Ponte Preta. O Atlético tem um lado direito forte com o Marcos Rocha.

Allano é perfeito lá,
consegue fazer muito bem. Para não mudar muito o modelo de jogo, ele se
encaixaria ali.

Coloquei o jogador mais rápido na frente, que é o Élber, para a
gente sair com velocidade, e isso aconteceu – explicou.
.

Fonte: Globo Esporte