Auxiliar de Vanderlei Luxemburgo e Mano Menezes em 2015, Deivid foi efetivado como técnico do Cruzeiro em 2016. Mas a passagem do ex-jogador pelo comando do clube durou apenas até o dia 24 de abril. A saída da Toca da Raposa, porém, não causou surpresa ao treinador.

Em entrevista ao “Seleção SporTV”, ele disse que, apesar do trabalho ainda estar no início, somente o título do Campeonato Mineiro poderia garantir o seu emprego. A Raposa foi eliminada pelo América-MG na semifinal da competição, e o treinador deixou a Toca da Raposa.

– Eu já esperava (pela demissão). Já tinha na minha cabeça que, se conquistasse o Campeonato Mineiro, eu continuaria.

Se eu perdesse, estaria fora. Ai veio a minha pergunta.

O Deivid virou treinador pelo fato de terem visto algo diferente nele, ou foi apenas um teste? Eu sou muito grato ao presidente, ao vice-presidente Bruno e ao Tiago pelo fato de terem me dado essa oportunidade. Mas a gente fica triste por ter terminado por não ter terminado nem no meio.

Eu perdi um jogo no Campeonato Mineiro e fui mandado embora. Fico triste por isso.

Deivid ainda lamenta a sua demissão do cargo de técnico do Cruzeiro (Foto: Reprodução SporTV)Para Deivid, existe preconceito com profissionais que estão em início de carreira. O ex-jogador de Cruzeiro, Flamengo, Corinthians e Santos disse que um trabalho vitorioso precisa de tempo para ser desenvolvido.

O treinador usou a Alemanha como exemplo lembrando que Joachim Löw está no comando da equipe desde 2006. A mudança no elenco também é apontada como prejudicial pelo treinador.

– Existe preconceito. Quando acabou a Copa do Mundo de 2014, muitos falaram em renovação e modernidade.

Disseram que os treinadores precisavam se preparar melhor, precisavam fazer cursos (..

.) O time da Alemanha está trabalhando há 10 anos para chegar em 2014 e conquistar o título mundial.

É fácil falar em criar um conceito, um filosofia. Você não consegue.

Se você não defender o seu trabalho, você não consegue (..

.).

Nós perdemos Ceará, Paulo André e Júlio Baptista. Eram jogadores que não estavam rendendo muito bem, mas tinham postura e eram líderes.

Aí vieram jogadores, como Coutinho, Rafael Silva, Gino, Sanchez e Romero. É preciso enquadrar todos eles dentro da competição para que você possa achar o seu modelo de jogo e dar sequência (.

..

) É preciso ter paciência. Se você não tiver tempo, você não consegue.

O Cruzeiro ainda trabalha para anunciar o seu novo treinador. A diretoria já descartou a contratação de Fernando Diniz, do Audax-SP.

Jorginho, do Vasco, e Ricardo Gomes, do Botafogo, e Marcelo Oliveira, ex-Palmeiras, não aceitaram os seus convites. Reinaldo Rueda, técnico do Atlético Nacional, da Colômbia, é um dos nomes na mira do clube mineiro
.

Fonte: Globo Esporte