Vamos voltar no tempo. Era dia 31 de dezembro de 2000.
Virada do século.

Você estava de branco, desejando coisas boas para o novo período
que estava chegando. Talvez você temesse o fim do mundo com o bug do milênio ou talvez não tivesse
nem nascido.

O Cruzeiro, após um século XX movimentado – fundação, duas
Libertadores, uma Taça Brasil e três Copas do Brasil –, esperava ainda mais
conquistas. E elas vieram – Tríplice Coroa em 2003 e mais dois Brasileiros, em
2013 e 2014.

Mas quando se trata de século XXI, a situação atual é a mais
assustadora. O Cruzeiro tem, após a derrota para o Flamengo, o pior início do clube no Brasileirão desde 2001, ano em que os ponteiros viraram para os atuais cem anos.

 O Cruzeiro perdeu
mais uma em casa. O algoz da vez foi Réver, que marcou o gol da vitória do
Flamengo por 1 a 0, e empurrou a Raposa para a zona do rebaixamento, na 17ª
colocação.

Com oito pontos, duas vitórias, dois empates e quatro derrotas, esta
é a pior campanha do clube desde 2001, nas oito primeiras rodadas do Campeonato
Brasileiro. De lá pra cá, neste século, só em duas oportunidades o clube
celeste chegou nesta altura da competição com menos de dez pontos, neste ano e
em 2001.

Mas sob o comando de Paulo Bento a situação é pior. A verdade é que não sabemos o que está acontecendo, é a nossa casa,
nossa torcida, estamos aqui, temos que nos sentir melhor aqui.

Não
sei porque está dando errado. É trabalhar psicologicamente para melhorar o
que está faltando.

Tratar de não se desligar em casa, porque os rivais
sempre se defendem mais aqui.  A má campanha dentro do Mineirão não vem incomodando apenas os torcedores, que vaiaram o time após o jogo contra o Flamengo.

Os jogadores também estão se cobrando por uma melhora do desempenho dentro de casa, como explica o atacante Riascos. – A verdade é que não sabemos o que está acontecendo, é a nossa casa,
nossa torcida, estamos aqui, temos que nos sentir melhor aqui.

Não
sei porque está dando errado. É trabalhar psicologicamente para melhorar o
que está faltando.

Tratar de não se desligar em casa, porque os rivais
sempre se defendem mais aqui. Em 2001, o Cruzeiro chegou na oitava rodada com os mesmo
oito pontos e com as mesmas duas vitórias, dois empates e quatro derrotas.

No
entanto, aquele time, que tinha estrelas como Edmundo, Oséas, Alex e era
comandado por Paulo César Carpegiani, tinha um saldo menos pior (-2), enquanto
o atual Cruzeiro tem (-4). No primeiro Brasileirão do século, a Raposa perdeu
para a América-MG e Atlético-PR, no Mineirão, e empatou com Bahia e Ponte
Preta, também no Gigante da Pampulha.

 A fase atual é assustadora. O Cruzeiro não consegue vencer
em casa.

São quatro jogos no Mineirão. O time começou o Campeonato Brasileiro
empatando com o Figueirense e América-MG.

Depois, como
mandante, vieram as derrotas para o São Paulo e Flamengo. Neste século, são 16 edições, e em todas elas o Cruzeiro não
chegou perto da campanha atual.

Em 2002, estava em 14º lugar, com 10 pontos. Em
2003, vieram os pontos corridos, e o Cruzeiro estreou com o pé direito.

Na
oitava rodada, estava com assombrosos 20 pontos, na liderança –  vantagem que
seria confirmada com o título no fim da temporada. Em 2004, 7º colocação, com 14
pontos.

Já em 2005, o Cruzeiro estava em 11º lugar, com 12 pontos. Entre 2006 e
2014, na oitava rodada, a Raposa nunca esteve atrás do 10º lugar e não marcou
menos de dez pontos.

Em 2015, após o bicampeonato, o Cruzeiro voltou a ter um
início preocupante, mas na oitava rodada estava com 10 pontos, em 11º. Última pior campanhaA última vez que o Cruzeiro fez uma campanha pior que atual
nas oito primeiras rodadas do Campeonato Brasileiro foi no longínquo ano de
1997.

No ano em que a Raposa comemorou seu segundo título da Libertadores,
estava na vice-lanterna da competição nacional, na 25ª colocação – neta época o
Brasileirão era disputado com 26 equipes – a esta altura da competição, com
apenas sete pontos, uma vitória, quatro empates e três derrotas. 

 

Campanhas do Cruzeiro no século XXI:2001 – 20º lugar: 8 pontos (2v 2e 4d) Saldo -2
2002 – 14º lugar: 10 pontos (2v 4e 2d)
2003 – 1º lugar: 20 pontos (6v 0e 2d)
2004 – 7º lugar: 14 pontos (4 v 2e 2d)
2005 – 11º lugar: 12 pontos (3v 3e 2d)
2006 – 2º lugar: 17 pontos (5v 2e 1d)
2007 – 6º lugar: 13 pontos (4v 1e 3d)
2008 – 3º lugar: 17 pontos (5v 2e 1d)
2009 – 9º lugar: 10 pontos (3v 1e 4d)
2010 – 5º lugar: 12 pontos (3v 3e 2d)
2011 – 9º lugar: 12 pontos (3v 3e 2d)
2012 – 7º lugar: 14 pontos (4v 2e 2d)
2013 – 3º lugar: 15 pontos (4v 3e 1d)
2014 – 1º lugar: 16 pontos (5v 1e 2d)     
2015 – 11º lugar: 10 pontos (3v 1e 4d)
2016 – 17º lugar: 8 pontos (2v 2e 4d) Saldo – 4
.

Fonte: Globo Esporte