Diante de um Cruzeiro apático e desorganizado no primeiro tempo, o Fluminense construiu a vitória por 2 a 0 em 45 minutos de superioridade em Edson Passos, estádio do América-RJ que será a nova casa provisória dos tricolores enquanto Maracanã e Engenhão permanecem fechados. O time mineiro reagiu na etapa final, foi ao ataque, tentou buscar o empate, mas parou em Cavalieri e na zaga tricolor. O primeiro gol foi de Cícero, aproveitando rebote após cabeceio de Henrique e defesa difícil de Fábio.

Marcos Junior, cobrando pênalti que ele mesmo sofreu, fez o segundo. O resultado deixa a equipe de Paulo Bento na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

O público pagante foi de 8.381 pessoas e mesmo assim houve alguns problemas no acesso antes da partida.

 Com a vitória, o time de Levir Culpe respira na tabela com 21 pontos e fica a cinco do Santos, último do G4. O Cruzeiro está na outra ponta da tabela e fica na zona de degola com a derrota – pode descer até a penúltima posição em caso de vitória do Sport sobre o Grêmio neste domingo e empate ou vitória do Coritiba diante do Atlético-MG nesta segunda-feira.

O Fluminense volta ao gramado pelo Campeonato Brasileiro no próximo domingo, contra o Atlético-PR, às 16h, na Arena da Baixada. No mesmo dia e horário, o Cruzeiro receberá o Sport no Mineirão.

O Fluminense começou a partida a todo vapor, tentando fazer o Cruzeiro recuar. E, além de alguns espaços para contra-ataques puxados por Sóbis, teve sucesso.

Logo aos seis minutos, o primeiro gol. Milagre de Fábio na tentativa de Henrique, de cabeça.

Mas, no rebote de Cícero, não houve jeito: 1 a 0. O Cruzeiro passou a avançar mais, porém sem criar chances.

Aos 18, por pouco Gum não amplia de ombro após cobrança de falta. O chute de Douglas também foi para fora aos 20, mas, aos 23, mesmo de costas para o gol, Marcos Junior foi puxado na área por Bruno Silva.

Ele mesmo cobrou com categoria, já aos 25: 2 a 0. O Cruzeiro, apático, assistia ao Fluminense passear em campo.

Aos 27, Douglas rabiscou na área, mas bateu em cima de Fábio. Tudo com muita facilidade.

O Cruzeiro só ameaçou aos 33, quando Bruno Henrique se antecipou pelo alto a Diego Cavalieri, que saiu mal, e quase empatou.O Cruzeiro voltou com mais ímpeto no segundo tempo e com um minuto Ábila já deu um susto em Cavalieri após arrancada em velocidade.

No escanteio, Henrique desviou a bola que tinha endereço certo no cabeceio de Bruno Viana. Aos seis, Sóbis tentou na área, e foi a vez de Johnathan salvar.

Pressão mineira, e Fluminense acuado. O time de Paulo Bento seguiu tentando buscar um gol para incendiar a partida, mas aos poucos a equipe de Levir Culpi foi minando o ímpeto do rival e retomando os espaços.

A partida voltou a ficar equilibrada e com poucas chances. Riascos ainda lutou no ataque, mas foi pouco para colocar em xeque a vantagem do rival, que administrou o resultado.

.

Fonte: Globo Esporte