O Cruzeiro conseguiu uma importante vitória na batalha jurídica que tem com o atacante Riascos. A Justiça negou o pedido do colombiano de atuar por outro clube. Ele fez a solicitação através de uma liminar, mas não foi atendido.

O clube mineiro ainda não recebeu a notificação, o que deve acontecer em dois ou três dias. O Cruzeiro mantém sua posição e quer que o jogador se reapresente e volte a treinar, até porque tem contrato com o clube até janeiro de 2018.

Riascos afirma que não tem condições de segurança para morar e trabalhar em Belo Horizonte. O jogador disse que torcedores atiraram em sua casa, e que várias ameaças foram feitas contra ele pela internet.

O Cruzeiro confirma a definição de abandono de emprego por parte do jogador, que havia sido proibido de retornar junto à delegação – em função das ameaças -, mas garante ter entregado a ele um bilhete aéreo para que retornasse a Belo Horizonte no dia seguinte e se reapresentasse na Toca da Raposa II – se ele treinaria separado ou em horário diferente do restante do grupo seria definido posteriormente.Por fim, o Cruzeiro desconhece qualquer retaliação sofrida por Riascos ou por familiares dele na capital, já que não foi encontrado nenhum boletim de ocorrência ou denúncia de vizinhos sobre o fato.

 A briga entre Riascos e Cruzeiro começou após a derrota por 2 a 0 para o Fluminense, no dia 17 do mês passado, em Mesquista, no Rio de Janeiro. Depois do jogo, o colombiano deu declarações fortes, que não repercutiram bem com a torcida e com os dirigentes, e acabou afastado (relembre o que disse o jogador no vídeo acima).

Desde então, ele não voltou mais a Belo Horizonte.
.

Fonte: Globo Esporte