O dicionário da língua portuguesa descreve a palavra imprevisível como algo que não se pode prever, saber ou dizer com antecipação. O treinador do Cruzeiro, Paulo Bento, é praticamente uma personificação da palavra. A imprevisibilidade do comandante português começa com sua relação com a imprensa.

Desde que chegou, os jornalistas só têm acompanhado cerca de 20 minutos de aquecimento dos jogadores, mas nunca revela a escalação. E ele já avisou.

A frase “time que se ganha, não se mexe”, para ele, não é verdadeira. Prova disso é que Bento não repetiu a escalação em nenhum dos sete jogos que comandou a Raposa.

Nas partidas, já foram utilizados exatos 23 jogadores, mais de dois times inteiros. Vale ressaltar que o treinador teve vários problemas de ordem médica e de suspensão.

Só no último jogo, foram seis desfalques: quatros suspensos – Bruno Viana, Lucas, Bryan e Lucas Romero – e dois machucados – Élber e Robinho. No entanto, Paulo Bento teve a opção de repetir o time após a vitória contra o Botafogo, em Brasília, contra o São Paulo, mas trocou Riascos por Willian, no time titular, mostrando que o treinador não titubeia para fazer alterações técnicas na equipe.

Em sete jogos, foram 23 jogadores utilizados. A trinca mais prestigiada é Fábio, Henrique e Arrascaeta, que atuaram todos os jogos sob o comando do treinador.

Com seis jogos, a dupla de zaga considerada titular: Bruno Rodrigo e Bruno Viana, além de Willian e Élber. O técnico tem se notabilizado por dar muitas chances aos jogadores das categorias de base.

Com ele, Fabrício Bruno, Alex e Bruno Ramires ganharam mais espaço, além é claro, de Bruno Viana, que virou titular. Paulo Bento tem bancado os jovens atletas e disse que eles têm o direito de errar, sob condição do treinador sofrer com as responsabilidades.

O treinador explica que pretende exercitar essa filosofia  – Tem a ver com a filosofia do clube. O Cruzeiro é um clube que acredita em seus jogadores da base.

Um clube que acredita no trabalho da base. Provavelmente pensará em tentar melhorá-lo e desenvolvê-lo, refinar aquilo que já tem.

Colocar jovens atletas para jogar não é um problema. Só que colocar vários em uma situação ruim que está acontecendo não é o ideal.

O único responsável para não terem o desempenho que podem sou eu. A gente tenta colocar num momento ideal para que possam ajudar.

Hoje, o Bruno Viana é certamente um jogador de alta capacidade para jogar o Brasileirão, o Bruno Ramires também. E os torcedores terão de ter paciência com esses jogadores.

Sentir um ruído do estádio que seja contra eles se torna mais difícil. E nós vamos tentar dar as oportunidades.

 Para o jogo contra o Grêmio, neste domingo, pela nona rodada do Campeonato Brasileiro, às 19h (de Brasília), em Porto Alegre, o Cruzeiro não vai repetir a escalação que perdeu para o Flamengo, no Mineirão. Fora do último jogo, Lucas, Bruno Viana, Bryan e Romero devem reassumir a titularidade, mas independentemente da escalação, Paulo Bento diz que a filosofia de jogo se manterá a mesma.

  – Os jogadores estarão disponíveis. O Élber não estará.

Os que foram suspensos estarão disponíveis ainda. Não vamos entregar o domínio ao Grêmio, chutar a bola para frente de qualquer maneira, não o faremos.

Creio que é algo que nunca faremos, pois não faz parte de nossa filosofia de um clube como o Cruzeiro. Vamos dividir o jogo com o Grêmio, não significa que vamos atuar de forma mais ofensiva, depende de como será o jogoVeja a lista dos jogadores utilizados por Paulo Bento:Fábio – 7 jogos
Arrascaeta – 7 jogos
Henrique – 7 jogos
Bruno Viana – 6 jogos
Bruno Rodrigo – 6 jogos
Willian – 6 jogos
Élber – 6 jogos
Riascos – 5 jogos
Bruno Ramires – 5 jogos
Lucas – 4 jogos
Alisson – 4 jogos
Ariel Cabral – 4 jogos
Douglas Coutinho – 4 jogos
Sánchez Miño – 3 jogos
Allano – 3 jogos
Robinho – 3 jogos
Federico Gino – 2 jogos
Matias Pisano – 2 jogos
Alex – 2 jogos
Fabrício Bruno – 1 jogo
Léo – 1 jogo
Rafael Silva – 1 jogo
Mayke – 1 jogo
.

Fonte: Globo Esporte