O clássico entre Cruzeiro e Atlético-MG ainda está na boca dos torcedores. A partida teve vários ingredientes que ainda causam repercussão: polêmicas de arbitragem, comemoração provocativa e, principalmente, a atuação do goleiro Fábio. O capitão da Raposa fechou o gol, e uma das grandes defesas foi na cabeçada de Robinho, no segundo tempo.

A comparação com uma das maiores defesas de todos os tempos é inevitável. Na Copa do Mundo de 1970, o inglês Gordon Banks defendeu de maneira espetacular uma cabeçada de Pelé.

E aí, você que existe mesmo semelhança com a defesa de Fábio? (compare no vídeo acima)Quem dera, né?! (risos) Estou longe. Fico feliz pelo reconhecimento
ainda mais em um jogo tão importante que a gente precisava de jogar bem,
precisava sair com a vitória.

Acho que a defesa foi em um momento super
importante dentro da partida.  O goleiro do Cruzeiro adotou a postura da humildade.

Ele acredita que as defesas não se assemelham, mas assume a importância da intervenção para o resultado no clássico. – Quem dera, né?! (risos) Estou longe.

Fico feliz pelo reconhecimento ainda mais em um jogo tão importante que a gente precisava de jogar bem, precisava sair com a vitória. Acho que a defesa foi em um momento super importante dentro da partida.

 Gordon Banks foi o goleiro campeão mundial pela seleção inglesa em 1966. Quatro anos depois, na Copa de 1970, lá estava ele de novo como titular da Inglaterra.

Na partida contra o Brasil, pela segunda rodada na primeira fase da competição, Banks voou para defender uma cabeçada precisa de Pelé. A defesa é considerada, até hoje, como a melhor de todos os tempos.

Neste jogo, a seleção brasileira venceu a Inglaterra por 1 a 0.Vamos agora estabelecer as semelhanças e as diferenças entre as defesas.

Os dois lances se originaram pelo lado direito. Em 1970, Jairzinho recebeu em velocidade pela ponta direita.

No clássico, foi o argentino Lucas Pratto que recebeu na direita. Os dois fizeram o cruzamento de perna direita e ajeitaram a bola apenas uma vez antes de alçar na área.

Os dois cruzamentos foram muitos parecidos. No lance histórico da Copa do México, Pelé recebeu o cruzamento bem perto da linha da pequena área, mas com um marcador inglês em sua cola.

Robinho subiu sozinho, em cima da risca da pequena área. A semelhança do movimento da cabeçada dos atacante é impressionante.

Depois da finalização que, tanto no caso de Pelé quanto no caso de Robinho, acontece como manda o manual dos cabeceadores – testada firme, direcionada para chão – entra em cena a técnica de ambos goleiros. A defesa é muito parecida, os dois fazem a intervenção quase em cima na linha do gol.

A diferença é que a cabeça de Robinho vai um pouco mais alta, e Fábio defende com a mão esquerda. No caso de Banks, a finalização de Pelé é um pouco mais baixa, e o goleiro inglês pega com o braço direito.

 
.

Fonte: Globo Esporte