Pela quarta vez no Brasileiro, o Cruzeiro saiu derrotado. Metade dos jogos até agora na competição. Inevitavelmente o time briga contra o rebaixamento e, mais uma vez, entrou no Z-4.

Após a derrota por 1 a 0 para o Flamengo, o técnico Paulo Bento avaliou que, assim em outras partidas, o Cruzeiro foi melhor em campo, mas pecou na eficácia de suas jogadas, o que custou no resultado no Mineirão. Além disso, o treinador considerou que os três desfalques na defesa (Bruno Viana, Lucas e Bryan) pesaram.

LEIA MAIS>>> Confira todos os detalhes da partida no Mineirão>>> Arrascaeta passa mais, mas erra mais e não consegue evitar derrota- Creio que, em primeiro lugar, se for falar sobre o
resultado, não me parece justo. Pelo tudo que foi feito.

Na primeira parte
começamos melhores, nos primeiros 20 minutos de jogo, depois tivemos momento entre
20 e 35 que o Flamengo conseguiu controlar melhor o jogo. No final da primeira
parte, em um momento que poderíamos ter controlado melhor, do escanteio originou o
primeiro e único gol da partida.

E creio que, na segunda parte, fomos mais
dominadores, praticamente o Flamengo jogava querendo um erro nosso, no atraso de bola. O Flamengo praticamente
não chegou na nossa baliza.

Chegou nos minutos finais, quando estávamos desorganizados.
Mas, no cômputo geral, não fomos, de maneira nenhuma, inferiores ao adversário.

Mas fomos penalizados e não conseguimos fazer o que tem se que fazer. É um fato
que são muitas ausências, pouco tempo de preparação, tivemos a melhor equipe que enfrentamos até agora.

Creio que um setor defensivo tivemos três ausências, naturalmente pesa um pouco. Mas
que os três jogadores que jogaram corresponderam.

São três jogadores jovens,
que necessitam ter carinho, paciência para que possam evoluir também, no caso
do Bruno, no caso do Allano, que desequilibra nas ações ofensivas – avaliou o treinador cruzeirense.Paulo Bento planejava conseguir a segunda vitória consecutiva para afastar o time mais ainda da zona do rebaixamento.

Segundo ele, era o momento ideal para isso, mas o Cruzeiro, novamente, pecou na eficiência nas jogadas. – Creio que seja o mais rápido possível (recuperação).

Verdade que não
conseguimos juntar, fazer duas vitórias seguidas. Hoje era um momento
importante para fazer mais uma vitória, mesmo sabendo das nossas ausências e do adversário, com boa
qualidade técnica.

Em termos de organização, a equipe tem mantido o padrão, que
eu creio que é bom. A equipe sabe aquilo que faz durante os 90 minutos, ou em
boa parte dele, mas nos falta maior eficácia, contundência.

Nos jogos, a organização é
importante, mas eficácia e contundência são fatos extremamente importantes, e isso não
temos tido, ao contrário dos nossos adversários. Tirando o jogo contra o Santa Cruz, depois do 2 a 1, não
creio que tenhamos sido inferiores que os adversários.

Sem euforiaPaulo Bento, assim como demonstrou após a vitória por 3 a 2 no clássico com o Atlético-MG, não demonstrou tanta frustração pela derrota. Isso, porque, segundo ele, não se pode iludir o grupo e a torcida com os resultados, nem os bons, nem os ruins, neste momento.

 – Eu não mudo muito a minha estado de espírito, filosofia.
Creio que há que analisar mais os resultados, mas não creio que estivesse tudo
bem após o clássico.

Não creio que esteja também tudo mal por causa de termos perdido
hoje. Não fizemos um mal jogo, não fomos inferiores que o adversário, mas temos
que caminhar muito ao rendimento e ao momento.

Isso fará parte do trabalho, aquilo
que fizemos, temos que analisar o adversário, tentar recuperar os jogadores e criar a melhor
estratégia para vencer o Grêmio.
.

Fonte: Globo Esporte