empecilhosfacilitadoresoutras opçõesO Cruzeiro está sem treinador. E, após a saída de Deivid, a diretoria começa a se movimentar nos bastidores para buscar um novo comandante para o time. Além de Jorginho, do Vasco; Ricardo Gomes, do Botafogo; e Abel Braga, que está sem clube, o nome de Marcelo Oliveira é cogitado para assumir o cargo.

O treinador do bicampeonato brasileiro de 2013 e 2014 deixou o comando da Raposa no dia 2 de julho de 2015, após a eliminação na Libertadores para o River Plate e o fraco início de Campeonato Brasileiro, além de não ter chegado à final do Campeonato Mineiro. Quase um ano depois de sua saída, após uma passagem de altos e baixos pelo Palmeiras, mas que teve o título da Copa do Brasil como ápice, o nome passa a ser ventilado nos bastidores da Toca da Raposa.

Mas por que não Marcelo Oliveira? Os números e o retrospecto do treinador pelo Cruzeiro o credenciariam como um ótimo nome para assumir o lugar de Deivid, mas a forma como ele saiu em 2015 e as preferências da alta cúpula da Raposa podem fazer com que possibilidade do retorno se torne distante. LEIA MAIS>>> Diretoria cogita esperar fim dos estaduais para trazer treinador>>> Cruzeiro anuncia troca de material esportivo>> Participe da enquete: quem deve ser o novo técnico do Cruzeiro?O técnico do bicampeonato brasileiro está em Belo
Horizonte.

Mas não é para negociar com o Cruzeiro. Ele mora com a
família na capital e garante que não teve nenhum contato com a
diretoria celeste.

Marcelo também disse que não comenta esse tipo de
especulação, já que não houve uma conversar concreta. –
Não, não teve nenhum contato.

E eu não comento esse tipo de hipótese.
Eu estou aproveitando esse período para descansar, fazer umas
caminhadas, ficar com a minha família, fazer um check-up, coisa que eu
não estava conseguindo fazer com o ritmo de trabalho.

Estou dando uma
descansada, não vou pensar nisso até maio. 01empecilhosA forma como Marcelo Oliveira foi demitido do clube, com a contratação de Vanderlei Luxemburgo quase imediata, indicando que a diretoria já negociava com novo treinador antes da saída de Marcelo, gerou um mal-estar.

Somado a isso está o desgaste da relação do então treinador com a diretoria, com declarações de ambos os lados. Marcelo reclamava de receber reforços que não pediu, além de perder muitas peças do elenco campeão para o futebol internacional.

O presidente Gilvan rebatia as reclamações do técnico. Por isso, o nome do comandante não é uma unanimidade no Cruzeiro, atualmente.

01facilitadoresEm contrapartida, Marcelo Oliveira é querido pelos torcedores. Ele tem a seu favor o ótimo retrospecto pelo Cruzeiro.

Com 168 jogos comandando a Raposa, Marcelo teve 105 vitórias, 32 empates e 31 derrotas, e um aproveitamento de 68,84%. O treinador também tem a facilidade de ter deixado a Toca da Raposa há pouco tempo.

Logo, conhece os procedimentos internos do grupo, além de já ter trabalhado com boa parte do elenco remanescente do tempo em que treinava o time celeste. A diretoria do Cruzeiro também mantém o mistério.

Bruno Vicintin comentou apenas que o nome do substituto dever ser brasileiro, mas que pode estar comandando um clube, ou estar desempregado, como é o caso de Marcelo. – Não
existe um principal alvo.

Sobre nomes, a gente não comenta, até para não
especular. A gente vai analisar os nomes disponíveis, se for nome disponível a
situação é mais rápida, se for um treinador que está em um clube, a decisão vai ser definida após o fim dos estaduais.

  Marcelo Oliveira no CruzeiroO técnico chegou à Toca da Raposa sob olhares desconfiados dos torcedores, devido ao passado ligado ao principal rival, Atlético-MG, pelo qual foi jogador e técnico. Mas as suspeitas em relação ao trabalho dele no clube logo cessaram.

Logo no jogo de estreia, em amistoso diante do Mamoré, o Cruzeiro venceu por 4 a 1. A prova de fogo veio na partida seguinte, o clássico de reabertura do Mineirão, após as reformas para a Copa do Mundo.

O Cruzeiro derrotou o maior rival por 2 a 1. Porém, Marcelo acabou perdendo o Estadual de 2013 para o Atlético-MG.

Marcelo Oliveira no Cruzeiro- 168 jogos- 105 vitórias- 32 empates- 31 derrotas- 316 gols marcados- 147 gols sofridos- 68% de aproveitamentosO treinador deu a volta por cima ao conquistar, de forma antecipada, o Campeonato Brasileiro do mesmo ano. Em 2014, Marcelo comemorou o título do Campeonato Mineiro em cima do Atlético-MG e, no mesmo ano, voltou a vencer, mais uma vez antecipadamente, o Brasileirão.

Na reta final da temporada passada, a maior frustração. O Cruzeiro perdeu a Copa do Brasil para o rival alvinegro, acabando com a chance de o clube repetir a Tríplice Coroa conquistada em 2003.

Além dos três títulos conquistados – dois campeonatos brasileiros e um estadual – destacam-se também os números do Cruzeiro sob a batuta do treinador. 01outras opçõesDois nomes que estão em pauta estão na decisão do Campeonato Carioca – Jorginho, pelo Vasco, e Ricardo Gomes pelo Botafogo.

Abel Braga e Oswaldo Oliveira, além de Marcelo, compõe a lista dos que estão disponíveis no mercado. Abel, no entanto, tem uma cláusula no contrato com o Al Jazira, dos Emirados Árabes, que não o libera para assinar com outro clube por seis meses.

Ou seja, só poderia assumir um time em julho. Perguntado sobre um possível interesse do Cruzeiro, Jorginho disse que sente lisonjeado em ser lembrado, mas que está com o foco no Vasco.

Oswaldo de Oliveira disse que não teve nenhum contato com a diretoria do clube, mas afirmou que está ansioso para voltar a trabalhar, já que está há bastante tempo fora do mercado. A informação é que o Cruzeiro terá paciência na busca pelo substituto de Deivid.

A intenção é que ele esteja contratado até a estreia no Campeonato Brasileiro, dia 14 de maio contra o Coritiba, fora de casa. Contra o Campinense, dia 5 de maio, pela primeira fase da Copa do Brasil, o time será comandado por Geraldo Delamore, auxiliar da comissão técnica permanente do clube.

.

Fonte: Globo Esporte