Ainda no Rio de Janeiro desde que deu a polêmica declaração após a partida contra o Cruzeiro, no último domingo, o atacante Riascos continua esperando uma desfecho para o seu caso com o clube mineiro. Afastado do grupo principal, ele continua na capital fluminense, pois está com medo de sofrer retaliações da torcida cruzeirense. Em entrevista ao programa colombiano “El Corrillo de Mao”, o colombiano disse que espera resolver rápido a situação e deu mais detalhes do porquê ter concedido aquela entrevista ao final de jogo.

– Falei para que me liberassem. Estava cheio de muitas coisas e disse
que haviam tirado minha felicidade para trazer-me a esta m.

..

, pela
situação que estávamos vivendo. Não disse que o clube era uma m.

..

, só
que um dirigente disse que havia agido mal. No Cruzeiro não me dava a
oportunidade jogar, ficava treinando ou em casa.

Não posso dizer nada do
Cruzeiro como instituição. Disse aquilo porque estava cheio e queria
sair do clube.

Contrataram dois atacantes (Rafael Sobis e Ramón Ábila) e
já haviam cinco lá, e eu estava no banco. Por isso ocorreu aquilo.

 Não posso estar em um lugar onde não me sinto feliz, nem cômodo. No Cruzeiro nunca me senti satisfeito.

O atacante foi multado em 40% dos salários e vai treinar separado do grupo. Riascos não voltou a Belo Horizonte pois está com medo de ameaças recebidas.

Segundo ele, na Toca da Raposa, ele nunca se sentiu satisfeito. – Continuo pertencendo ao Cruzeiro, mas estamos chegando a um acordo para que me deem a oportunidade de sair.

Não posso estar em um lugar onde não me sinto feliz, nem cômodo. No Cruzeiro nunca me senti satisfeito e se criou uma polêmica porque disse a eles que não queria estar lá, mas nunca agi mal diante do clube ou da torcida.

Sobre o seu futuro, o jogador disse que ainda não sabe o que acontecerá, mas que sempre houve a possibilidade de voltar ao Vasco, clube que defendeu por empréstimo até maio desta temporada, mas que teve de encerrar o ciclo, a contragosto, a pedido do Cruzeiro, que queria o retorno do atacante.- Não tive contato com equipes da Colômbia, estou esperando ganhar a liberação do Cruzeiro.

  Recentemente, não há nada conversado sobre eu ir para o Vasco, mas sempre houve essa possibilidade. Eles (Vasco) não queriam que eu fosse.

Eles querem que eu volte, porque tive uma boa relação com a torcida e com as pessoas do clube. Mas se isso não acontecer, há outras equipes que estão interessadas.

Afastado do grupo principal, Riascos tem contrato com o Cruzeiro até 15
de janeiro de 2018. Pela equipe celeste, em sua segunda passagem, o
jogador participou de 11 jogos e marcou um gol: na vitória por 3 a 2
sobre o Atlético-MG, pelo Brasileiro.

Na primeira passagem, no ano
passado, fez apenas quatro partidas, sem nenhum gol.Cruzeiro decepcionadoO vice-presidente de futebol do Cruzeiro, Bruno Vicintin, comentou, nesta sexta-feira, sobre o caso Riascos.

E definiu como uma “decepção” para o clube a polêmica causada pelo atacante colombiano.- Sem dúvida, é uma decepção.

A gente espera dos jogadores profissionalismo, foi um investimento alto da diretoria de futebol passada. A gente fez de tudo para tentar recuperar o investimento do clube.

O que a gente espera dos atletas é profissionalismo, pois o Cruzeiro é um clube profissional, que honra os seus compromissos. Isso não aconteceu.

.

Fonte: Globo Esporte