Depois de 2124 dias, ou cinco anos, nove meses, três semanas e três dias, Sandro Meira Ricci vai voltar a apitar um jogo do Cruzeiro. Desde o dia 13 de outubro de 2010, quando foi árbitro de Corinthians e Cruzeiro, no Pacaembu, pelo Campeonato Brasileiro daquele ano, ele nunca mais trabalhou em partidas do time mineiro. Na ocasião, o Cruzeiro se sentiu prejudicado com a arbitragem, na derrota por 1 a 0, gol de Ronaldo cobrando pênalti.

Vários lances polêmicos aconteceram no jogo (reveja os melhores momentos no vídeo abaixo), que foi válido pela 35ª rodada e praticamente tirou as chances de título do Cruzeiro. Na semana que sucedeu a partida, o clube pediu à CBF que não incluísse mais o nome de Sandro Meira Ricci no sorteio de seus jogos, o que aconteceu até agora.

 O Cruzeiro retirou o pedido de não inclusão de Sandro Meira Ricci dos sorteios após um pedido do próprio árbitro. O árbitro encontrou com o presidente Gilvan de Pinho Tavares, na final da Primeira Liga, da qual Gilvan também é presidente.

– Nenhum árbitro pode ser proibido pelos clubes de apitar jogos e nem pode ser vetado. Os clubes podem, no máximo, fazer uma solicitação para que o árbitro não entre na escala.

Na final da Primeira Liga, o Sandro Meira Ricci procurou o Dr. Gilvan de Pinho Tavares e pediu para que ele acabasse a restrição que havia em relação ao seu nome nas escalas de arbitragem do Cruzeiro.

O árbitro alegou que já se passaram quase seis anos e que esse episódio marcou muito a carreira dele, de forma negativa, e pediu um voto de confiança do Cruzeiro. O Cruzeiro concordou com o pedido e autorizou que ele entrasse na escala de sorteio – contou o diretor de comunicação Guilherme Mendes.

Com isso, Sandro Meira Ricci entrou o sorteio e será o árbitro de Cruzeiro e Santa Cruz, domingo, às 11h (de Brasília), no Mineirão, pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro. O clube mineiro afirmou também que espera que a arbitragem da partida seja normal, sem incidentes, e que, ao final da partida, os comentários sejam sobre o que os dois times fizeram em campo e não sobre o árbitro.

.

Fonte: Globo Esporte