Clássico, normalmente, não é um jogo tranquilo. O deste domingo então, não foi nem um pouco. Vencida pelo Cruzeiro por 3 a 2, no Independência, a partida teve um número grande de cartões, discussão e briga em campo, além de objetos arremessados em campo.

O dono do apito era Marcelo Aparecido de Souza, de São Paulo, que relatou tudo isso em súmula.O setor de “ocorrências e observações” da súmula está lotado.

A primeira delas aconteceu aos quatro minutos do segundo tempo, quando a torcida do Cruzeiro teria arremessado um galo de plástico no gramado enquanto comemorava o segundo gol da equipe.- Aos quatro minutos do segundo tempo, após o segundo gol da
equipe do Cruzeiro, foi entregue ao quarto árbitro um galo de borracha pequeno,
objeto esse entregue pelo sr.

Belmiro de Oliveira, massagista do C. A.

Mineiro,
que diz ter sido arremessado pela torcida do Cruzeiro E.C.

, fato esse que não
podemos observar e confirmar. Como foi entregue, coube a nós relatar o fato do
objeto entregue.

Depois disso, foi a vez do chinelo. Depois de uma confusão em campo envolvendo os dois times (relembre no vídeo acima), que terminou com a expulsão de Marcos Rocha e Bryan, um chinelo foi arremessado no gramado por torcedores do Atlético-MG.

Fred pegou o objeto e escondeu embaixo da camisa. Por isso, foi advertido com o cartão amarelo.

O árbitro relatou com detalhes o fato na súmula.- Aos onze minutos do segundo tempo, foi atirado um pé de
chinelo por torcedores da equipe do Atlético que se encontravam na arquibancada
atrás do gol defendido pela equipe do C.

A. Mineiro.

Informo que foi registrado
b.o.

nº 2016-012719659-001.Além dos objetos, o árbitro também relatou a expulsão de Ricardo Peres, auxiliar técnico do Cruzeiro, que foi retirado da partida por desrespeitar os limites da área técnica após ter sido advertido.

Histórico perigosoO Atlético-MG, mandante da partida deste domingo, tem histórico de julgamentos no STJD por objetos arremessados no gramado. Ano passado, no Independência, a torcida atleticana arremessou dois copos e um tênis no gramado na partida contra o Atlético-PR, pelo Campeonato Brasileiro.

Pelo incidente, o Galo foi julgado e absolvido. Desta vez, como há o registro do Boletim de Ocorrência feito pelo Atlético-MG e relatado em súmula, a maior chance é a de nova absolvição.

.

Fonte: Globo Esporte