Entre todos os treinadores dos times do Campeonato Brasileiro da Série A, Deivid é o único que realiza seu primeiro trabalho em um clube profissional. O comandante do Cruzeiro conviveu com alguns momentos de desconfiança, mas a recente vitória no clássico contra o Atlético-MG e a classificação na liderança, de forma invicta, na primeira fase do Campeonato Mineiro, tem dado mais tranquilidade ao treinador de primeira viagem.Os números comprovam a boa fase de Deivid.

Entre todos os atuais treinadores dos times da primeira divisão do Brasileirão, o comandante do Cruzeiro é o o segundo melhor aproveitamento, com apenas uma derrota, atrás apenas de Ricardo Gomes, do Botafogo.LEIA MAIS>>> Confiante, Willian segue na preparação física na TocaPara calcular o aproveitamento dos treinadores dos clubes da Série A, não foram considerados partidas amistosas, apenas jogos válidos em competições oficiais, como Estaduais, copas regionais e Libertadores.

Nos clubes que trocaram de comando durante esta temporada, foi utilizado apenas os dados do atual técnico. Com isso, o líder do aproveitamento é Ricardo Gomes, com incríveis 80% de aproveitamento.

O comandante do time da estrela solitária tem 15 jogos, com 11 vitórias, três empates e apenas uma derrota. Deivid vem logo atrás, com 78,5%.

O treinador do Cruzeiro comandou a Raposa em 14 jogos, com  10 vitórias, três empates e uma derrota. Foram 11 jogos pela primeira fase do Campeonato Mineiro, no qual o time celeste terminou isolado na liderança e de forma invicta, além de possuir a melhor defesa do Estadual.

Os outros três jogos foram pela Primeira Liga, na qual Deivid conheceu sua única derrota como comandante do Cruzeiro. Perdeu para o Fluminense, no Mineirão, quando o treinador do tricolor ainda era Eduardo Baptista.

O jogo, no entanto, foi muito disputado e terminou com o placar de 4 a 3 para os cariocas. Deivid começou sua história com o Cruzeiro em 2003, quando foi atacante da Raposa durante a campanha da Tríplice Coroa (Campeão Mineiro, da Copa do Brasil e do Brasileiro).

Em 2014, ele voltou à Toca da Raposa como auxiliar de Vanderlei Luxemburgo e, mesmo após a saída do treinador, Deivid seguiu como auxiliar de Mano Menezes, já integrando à comissão permanente do clube. Mano não resistiu às cifras da China e deixou Belo Horizonte.

Deivid recebeu respaldo da diretoria e começou 2016 como treinador do Cruzeiro, em seu primeiro trabalho comandando um time profissional. Após a vitória por 1 a 0, no clássico contra Atlético-MG, no Independência, Deivid mostrou que estava mais tranquilo para trabalhar.

O treinador explica que, quando se tornou treinador, passou a ficar muito mais ligado em futebol, de uma maneira geral, além de se ter se tornado um grande estudioso de tática. – Tranquilidade para trabalhar.

Futebol você tem que provar a cada três dias. A gente não pensa diferente.

A gente trabalha intensamente todos os dias. Quando eu era jogador era mais fácil.

Como treinador você tem que ficar vendo os jogos, os adversários. O que encaixou, o que não  encaixou.

Tranquilidade existe depois de uma vitória no clássico, mas num grande clube você tem que estar ligado, para ganhar sempre.O treinador tenta melhorar rendimento ainda mais no próximo sábado.

O Cruzeiro começa a disputar as semifinais do Campeonato Mineiro diante do América-MG, às 16h20 (de Brasília), no Independência.
.

Fonte: Globo Esporte