O atacante Willian admitiu que não vive boa fase com a camisa do Cruzeiro. O Bigode só fez um este ano, diante do Campinense, pela primeira fase da Copa do Brasil. O camisa 9 da Raposa, entretanto, garantiu que não está faltando empenho, nem dedicação e acredita que a boa fase vai voltar.

No último domingo, diante do São Paulo, pelo Brasileirão, Willian deixou o campo entre vaias e aplausos ao ser substituído no começo do segundo tempo (veja no vídeo abaixo). Ele respeita a atitude de parte dos torcedores e espera que seu momento melhore muito nas próximas partidas.

 – A gente tem que respeitar a opinião do torcedor. Eles pagam o ingresso,
tem todo o direito de fora de campo vaiar, criticar.

Claro que é uma
coisa que nenhum jogador gosta de passar por isso, e creio que todos vão
passar, infelizmente. Se a gente falar que
não fica chateado, é mentira.

Mas eu fico tranquilo com meu empenho e
dedicação. Sei que as coisas não estão acontecendo da forma como
esperamos no coletivo e individual.

A bola não tem entrado. Tenho me
dedicado muito dentro de campo.

Claro que os gols precisam sair e as coisas não estariam
assim, mesmo com minhas atuações. A gente sabe que o gol fortalece muito
o jogador, principalmente o atacante.

O nosso time em si, no coletivo,
não tem engrenado, não temos tido sequencia.
O Paulo tem feito suas trocas, suas mudanças, tentando encaixar o time
ideal.

Ele tem essa filosofia, uma escola europeia, de rodízio, é uma
coisa que aqui no Brasil o pessoal não está adaptado. Passei por isso na
Ucrânia, acredito que é uma fase, vai passar
e não está sendo diferente.

Estou vindo trabalhar, com alegria, prazer.
Estamos tristes pelo momento do Cruzeiro, mas não resta outra coisa a
não ser trabalhar.

Todos querem vencer, ninguém quer ficar nessa
situação. Somos pai de família, dependemos disso.

O torcedor fica bravo, quer resultado. A gente vem para o clube com
total seriedade, é um local que tenho prazer de vir trabalhar.

Como
falei, ficamos chateados com as vaias, mas são os mesmo torcedores que
aplaudiram, que comemoraram títulos juntos.A gente sabe que o gol fortalece muito
o jogador, principalmente o atacante.

O nosso time em si, no coletivo,
não tem engrenado, não temos tido sequencia.
O Paulo tem feito suas trocas, suas mudanças, tentando encaixar o time
ideal.

Ele tem essa filosofia, uma escola europeia, de rodízio, é uma
coisa que aqui no Brasil o pessoal não está adaptadoWillian fez questão de afirmar que não ironizou o torcedor que o vaiou. O jogador, por meio da assessoria do clube, inclusive publicou uma nota oficial.

O atacante explicou que bateu no peito e acenou para os que gritaram seu nome e não para os que o vaiaram. – A gente sabe que tem pessoas que tem essa maldade, a pessoa que foi
responsável por ter colocado essa pauta na matéria, dizendo que tive
ironia.

Vocês sabem da minha pessoa, meu caráter, vocês sabem da minha
índole, e não vai ser por um momento que vou desrespeitar,
chutar o balde, dizendo que torcedor não pode vaiar. A gente fica
triste, mas eles pagam ingresso, estão insatisfeitos, querem resultado,
mas estou ali respeitando a camisa, o clube.

Tenho uma história muito bonita aqui, e o
carinho que o torcedor tem por mim, ele não vai se apagar dessa forma.
Tem muito torcedor chateado com o meu momento, mas fico tranquilo,
porque estou me dedicando, trabalhando, tenho certeza
que é uma fase e vamos dar a volta por cima, sair dessa situação.

Temos
que unir. Todos sabem da nossa força no Mineirão quando o torcedor está
junto, a gente fica muito mais forte.

Tenho certeza que, a partir desse
clássico, as coisas vão mudar.Domingo, o Cruzeiro enfrenta o Atlético-MG, no Independência, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro.

Willian disputa com o colombiano Riascos uma vaga no ataque do time.
.

Fonte: Globo Esporte