Se naturalizar para jogar por outra seleção é algo comum. O motivo pode ser por não receber chances no time de seu país de origem, a identificação com outra nação, o sonho de disputar uma copa, enfim, a motivação é algo pessoal. Já tivemos casos conhecidos de brasileiros em outros países, como Deco, Pepe, Cacau, Kurányi, etc.

Listamos aqui cinco jogadores que poderiam estar tranquilamente na seleção de Dunga, alguns deles sendo titulares absolutos.
1 – Thiago Alcântara (Bayern de Munique/Espanha)
Reprodução\ Twitter de Thiago AlcântaraFilho de Mazinho, campeão da Copa do Mundo de 94, o jogador, ao contrário de seu irmão Rafinha, decidiu defender as cores da seleção espanhola.

O meia também tinha opção de defender a Itália, onde nasceu, mas optou pela Fúria. A justificativa é que ele mora no país desde os três anos de idade e diz que deve tudo a Espanha.

Thiago, se jogasse no Brasil, poderia atuar numa posição carente: A de segundo volante. Hoje, Dunga tem que improvisar Renato Augusto no setor, pela falta de jogadores com bom passe na saída de bola.

Uma pena não poder contar com um jogador de qualidade técnica tão apurada no Brasil.
2 – Jorginho (Napoli/Itália)
Reprodução\ Twitter do NapoliO volante faz grande temporada no Napoli.

Junto com o ex-vascaíno Allan, comanda o meio-campo da equipe. Jorginho nasceu no Brasil mas se mudou muito jovem pra Itália, por isso é pouco conhecido por aqui mas já teve seu trabalho reconhecido pelo técnico da Azzurra Antonio Conte, que convocou o atleta para os amistosos contra Espanha e Alemanha.

Justificou a escolha pela Itália por nunca ter sido observado pelo Brasil e se identificar com o país em que joga. Com passe apurado e apoiando bem o ataque, Jorginho também poderia atuar como segundo volante no Brasil.

3 – Éder (Inter de Milão/Itália)
Reprodução\ Twitter da Inter de MilãoO atacante pouco conhecido no Brasil, onde só jogou no Criciúma, tem bastante prestígio na Itália. Destaque da Sampdoria na temporada o jogador acertou recentemente com a Inter de Milão.

É outro que foi chamado pros amistosos de março por Antonio Conte, após na sua estreia marcar o gol da vitória sobre a Bulgária pelas eliminatórias da Eurocopa, tendo grandes chances de estar na lista final da competição. Justificou sua escolha pela Azzurra pelo fato de não ter recebido chances com a amarelinha e não perder a oportunidade de atuar por uma grande seleção como a Itália.

Com bastante vigor físico, raça e dedicação o jogador poderia facilmente jogar ao lado Neymar, Willian ou Douglas Costa no ataque, já que é um atacante de mobilidade ajudando no estilo de jogo da seleção.
4 – Rodrigo (Valencia/Espanha)
Divulgação\ Getty ImagesNascido no Rio de Janeiro, o atacante só atuou no Brasil pelas categorias de base do Flamengo, clube que seu pai o ex-lateral Adalberto Machado defendeu, antes de ir morar na Espanha.

Se destacou no Benfica e se transferiu em 2014 para o Valencia. Podendo jogar centralizado ou flutuar pelos lados do campo, poderia ser uma opção a mais no ataque da seleção brasileira.

Rodrigo justificou a escolha pela Espanha pela identificação com o país e por não se sentir ”brasileiro”.
5 – Diego Costa (Chelsea/Espanha)
Reprodução\ Twitter de Diego CostaClaro que não poderia faltar o polêmico atacante dos blues.

Protagonista do imbróglio em 2014 entre CBF e Federação Espanhola, o atacante que chegou a disputar amistosos pelo Brasil, optou por defender a Espanha, justificando que deve tudo ao país e se sente mais valorizado lá. Mesmo tido muitas vezes como um jogador que joga sujo, não se pode negar a qualidade e capacidade dele, ainda mais com a escassez de atacantes de área no Brasil, usando muitas vezes no setor Hulk e o veterano Ricardo Oliveira, que mesmo sendo brilhante no Santos, dificilmente disputará a próxima Copa do Mundo.

Há quem diga que Diego Costa será o ”Novo Amauri”, jogador que preferiu defender a Itália ao invés do Brasil, não se destacou, e acabou não recebendo mais oportunidades.
Se espera que o Brasil não perca mais nenhum talento para as seleções europeias, dando chances para jogadores que não foram convocados ainda, casos de Allan do Napoli e Raffael do Borussia Mönchengladbach.

.

Fonte: Torcedores.com