Após o clássico contra o Atlético-MG, o atacante Rafael Silva foi alvo de ofensa de atleticanos nas redes sociais, algumas delas com cunho racista. O jogador disse que não vai se manifestar sobre o assunto. No entanto, o episódio ainda repercute na Toca da Raposa II entre jogadores, comissão técnica e jornalistas.

O técnico Deivid lamentou o episódio com o atacante do Cruzeiro. – Eu conversei com ele.

É chato..

. Tem mãe, tem pai, filhos.

..

Eu
condeno isso. Qualquer tipo de preconceito, racismo, a gente tem que condenar.

O
futebol é um espetáculo. Tem que ir ao estádio e incentivar sua equipe.

Dez anos atrás, Marcelinho Carioca, Viola, Paulo Nunes faziam comemoração com dancinha, zoação e ninguém falava nada. Hoje você não pode fazer nada.

É
um absurdo. O clube já colocou o departamento jurídico à disposição do jogador e vem monitorando o que está sendo publicado.

Por se tratar de algo que atinge a esfera pessoal, qualquer ação será tomada após a solicitação de Rafael Silva. O atacante segue sem querer se pronunciar a respeito.

MaldadeArrascaeta, que estava com a seleção do Uruguai, retornou ao Cruzeiro no meio desta semana. Ao saber do ocorrido, lamentou muito.

Disse que é um compromisso de todos melhorar esse tipo de situação. –

O mundo em si tem muita gente ruim, que faz
maldade.

Isso não é bom para o futebol. Temos que ir melhorando isso.

 O caso lembra o ocorrido no ano passado com o também atacante Allano. Foi no mês de outubro.

O jovem jogador do Cruzeiro chegou a cogitar denunciar a pessoa que publicou o comentário contendo injúria racial, mas acabou desistindo. Na ocasião, o Cruzeiro também colocou o departamento jurídico à disposição do atleta.

.

Fonte: Globo Esporte