As idas e vindas do banco de reserva para o time do Fluminense foram a realidade de Osvaldo até agora em sua passagem pelas Laranjeiras. Autor dos dois gols no empate por 2 a 2 com o Internacional, quarta-feira, em Brasília, o atacante quer deixar esta inconstância para trás. Para isso, aposta no apoio dado pelo técnico Levir Culpi, que teve uma conversa com o jogador assim que chegou ao clube e disse que conta com ele.

Domingo, contra o Boavista, em Los Larios, Osvaldo deve fazer pela primeira vez sua segunda partida seguida como titular. O objetivo é que seja o início da sonhada sequência.

– Ele (Levir) me passou total confiança, e assim que eu me sinto bem. Felizmente consegui fazer um bom jogo.

Agora é manter, ter uma sequência para cada vez mais ganhar espaço no clube. No domingo, talvez eu vá para a minha segunda partida seguida pela primeira vez.

Vou tentar encaixar uma boa sequência para ganhar mais confiança. Assim as coisas fluem naturalmente dentro de campo – disse.

Ao todo, Osvaldo já disputou 36 partidas pelo Flu e marcou quatro gols. Confira a entrevista com o atacante tricolor:GloboEsporte.

com: Logo no primeiro jogo como substituto do Diego Souza, você conseguiu fazer dois gols e ajudar diretamente na classificação para final. Tinha como ser um cenário melhor do que esse?Osvaldo: No futebol as coisas mudam muito rápido.

Se o Diego não tivesse saído, talvez eu nem estaria escalado. Mas eu fiquei feliz de ter sido o escolhido, de ter participado com os gols e de ter ajudado o time a sair com a classificação.

Quando você ficou sabendo que iniciaria o jogo contra o Inter? Como foi a conversa com o Levir?O Levir sempre monta um minicoletivo, e meio que já tinha antecipado os 11 que iam jogar. A oportunidade surgiu e fui feliz de ter entrado e ajudado.

Qual a importância do Levir Culpi para essa sua nova fase? Como foi o papo em particular que vocês tiveram quando ele chegou ao Fluminense?Acho que no segundo dia dele acabei sentindo um desconforto muscular. Aí ele conversou, disse que contava comigo, que tinha visto meu histórico de lesões e que eu raramente me machuco.

Logo depois iniciei o jogo contra o Botafogo com ele. Tinha liberdade total dentro de campo, tanto eu quanto o Marcos Junior, Scarpa, Gerson.

..

todos nós que jogamos na linha de frente. Gostamos de flutuar no campo, e essa liberdade é importante.

Ele me passou total confiança, e assim que eu me sinto bem. Felizmente consegui fazer um bom jogo.

Agora é manter, ter uma sequência para cada vez mais ganhar espaço no clube. Desde que você está no Flu aborda que precisa de uma sequência.

Na conversa com o Levir isto foi discutido?Cheguei a comentar com ele que tinha quase seis meses que eu não terminava uma partida inteira sequer. Pela experiência que tem, ele sabe que é difícil para o jogador.

Cheguei a comentar com ele que tinha quase seis meses que eu não
terminava uma partida inteira sequer. Pela experiência que tem, ele sabe
que é difícil para o jogador.

Depois destes dois gols, a torcida vai cobrar que você faça outros. Ao longo de sua carreira, sua marca maior foi dar assistências.

..

Como acha que vai ser isso?A cobrança vai sempre existir. Estava conversando com o Jorge Macedo (diretor de futebol), e ele me disse que vou marcar 20 gols nessa temporada.

Aí eu disse que se eu fizer 20 será o meu melhor ano disparado. Acho que o máximo que eu cheguei foi a 12 gols no São Paulo, mas com 15 assistências.

O meu forte é nas assistências mesmo, mas espero também ter um pouco deste lado de artilheiro para conseguir ajudar. É sempre bom jogar bem, fazer gols, e é isso que eu vou procurar fazer.

Com a volta do Fred fica mais fácil exercitar esse lado “garçom”?O Fred é um centroavante nato. Para nós homens de frente não muda nada.

É sempre bom ter um cara ali de área para nos auxiliar quando chegamos no fundo do campo. Vou tentar servir a ele e aos outros companheiros.

Além da final da Primeira Liga, o Carioca começa a entrar em uma fase mais decisiva. É o momento ideal para você se firmar?Aos poucos vou procurar o meu espaço.

A sequência é importante. No domingo, talvez eu vá para a minha segunda partida seguida pela primeira vez.

Vou tentar encaixar uma boa sequência de partidas para ganhar mais confiança. Assim as coisas fluem naturalmente dentro de campo.

.

Fonte: Globo Esporte