Mesmo em período de chuvas nas terras amazônicas, o sol voltou a brilhar para o Glorioso da Pérola do Mamoré. Na primeira partida ensolarada, e com campo seco, de muitas rodadas do estadual, o Guajará entrou no jogo e garantiu ao torcedor o grito da vitória, preso na garganta há muito tempo. Afastado do profissional em 2004, o clube retornou às disputas em 2015, quando não conseguiu gols e muito menos vitórias.

Na terceira rodada do Rondoniense 2016, o clube finalmente conseguiu marcar o primeiro gol, e duas semanas depois, após 12 jogos disputados desde a volta ao profissional, saiu enfim a primeira vitória. A partida histórica para o Guajará foi realizada contra o Ariquemes no domingo, 3, no estádio João Saldanha e terminou em 1 a 0 para o dono da casa.

O jogo, válido pela quinta rodada, teve mais de 400 pessoas nas arquibancadas e garantiu ao GEC os seis pontos na tabela. Com o resultado, a equipe segue com esperanças de brigar por uma vaga na final do primeiro turno.

Fundado em 1952, o clube tem apenas um título estadual que foi conquistado em 2000 sobre o Genus. Como 2016 está sendo o ano das quebras de jejum, agora o objetivo dos jogadores é acabar com o jejum de 16 anos sem ser campeão rondoniense.

No elenco atual existem quatro remanescentes do único título do time, sendo eles o goleiro Ferreira, os volantes Héber e Ronildes, além do atacante Panelinha.O atacante Tanaka, que foi o autor do gol de pênalti que garantiu a vitória, acredita que o time pode vencer os dois jogos que faltam para a final do primeiro turno e conquistar uma boa posição na tabela.

– Acho que ainda é possível sim a gente tentar algo. Nossa equipe vem crescendo a cada jogo.

Temos esperança de vencer o Ji-Paraná e depois ir para o confronto direto com o Genus. Estou feliz por ter feito o primeiro gol do time e agora por ter dado essa primeira vitória à torcida, juntamente com meus companheiros.

Atacante vive de gols e não importa se for de pênalti, o importante e colocar para dentro. Queremos um título para dar a volta por cima, depois de um 2015 horrível – declarou o jogador.

Para o técnico boliviano Hernán Oliveira, a primeira vitória era só questão de tempo e o grupo vai ganhar confiança para os demais jogos do estadual – É claro que uma vitória dá uma motivação extra ao jogador. Ganhar é sempre bom, mas temos consciência que muito ainda precisa ser feito.

Uma hora esse resultado ia chegar, até porque eles trabalharam como loucos por isso, correram muito, arrastaram a alma dentro de campo. Acho que a torcida foi premiada e mereceu essa vitória, pela festa linda que fez desde o início – disse o treinador.

ElencoO Guajará é o único time do estado formado apenas por jogadores amadores pratas da casa, sem nenhuma contratação de fora. Dos 26 atletas do elenco atual, ninguém vive exclusivamente do futebol.

Com uma folha salarial modesta, o clube tem o plantel formado por trabalhadores da região, como pintores, pedreiros, vigilantes, frentistas, estivadores, motoristas, estudantes, autônomos e funcionários públicos.TorcidaApesar do sol forte, os torcedores compareceram no João Saldanha para apoiar o time.

Foram 469 pagantes, com renda de R$ 4,6 mil, segundo os diretores do GEC. A torcida empurrou os jogadores desde o início e explodiu em festa com o gol de pênalti, aos 18 minutos do segundo tempo.

Após o apito final, os espectadores enfim puderam comemorar uma vitória do time do coração e saíram aliviados com os três pontos.Na sexta rodada, o Guajará enfrenta o Ji-Paraná fora de casa e precisa vencer mais uma vez para seguir com esperanças de se classificar para a decisão do primeiro turno.

Atualmente a equipe está em quinto lugar na tabela, com seis pontos ganhos em cinco partidas disputadas.Para ler mais notícias do Globo Esporte Rondônia, clique em globoesporte.

globo.com/ro.

   

.

Fonte: Globo Esporte