Diante do Princesa do Solimões, quem deve defender o gol da Chapecoense é Marcelo Boeck, goleiro contratado no início deste ano pelo Verdão do Oeste e que estava no futebol português. Depois de nove anos, o jogador vive a expectativa de novamente atuar no Brasil. Antes de ir para a Europa, ele jogou pelo Internacional.

Apesar da experiência, o atleta diz que senti um “friozinho” antes do confronto.- Jogador que não tiver um friozinho na barriga antes dos jogos tem que buscar outra profissão.

Jogador vive disso e todo jogo é uma história diferente. Vai ser uma partida especial, porque depois de nove anos volto para jogar uma partida no Brasil.

E sei o projeto que a Chapecoense tem essa competição – comentou Boeck, em entrevista coletiva. A Chape embarcou na segunda-feira à tarde para Manaus.

Na quarta, vai de ônibus até Manacapuru (AM), onde ocorre o duelo pela primeira fase da Copa do Brasil, a partir das 16h30 (horário de Brasília). Boeck ressalta que o desgaste da viagem e a diferença na temperatura podem dificultar a vida da Chape, mas ressaltou que o grupo está pronto para superar esses desafios.

 – Tem essa viagem, ainda mais depois do desgaste do jogo que teve contra o Figueirense. Tem escalas e o calor.

São os desafios dessa viagem. Mas a Chapecoense se prepara desde o início da temporada e isso não pode servir como desculpa.

Confira mais notícias do esporte de Santa Catarina no GloboEsporte.com/sc
.

Fonte: Globo Esporte