Dezesseis jogos realizados até aqui e poucos de encher os olhos. Assim tem sido o ano de 2016 do Sport. Depois da boa campanha na Série A do Campeonato Brasileiro e da saída de jogadores importantes, o time do técnico Paulo Roberto Falcão precisou se reinventar para esta temporada.

E parece que ainda não conseguiu. Com lampejos de bons futebol – até dentro de partidas consideradas ruins -, o Leão apresenta números que mostram bem o desajuste.

Tem um ataque positivo, com 28 gols marcados, mas uma defesa bem exposta, com 16 sofridos em 16 partidas.Em alguns dos confrontos, o Sport consegue jogar bem um tempo, mas se apaga no outro.

Ou até vai bem durante alguns minutos, mas como um passe de mágica, parece esquecer tudo de bom que vem fazendo e sucumbe ao adversário. Na última quarta-feira, contra o CRB, foi absoluto nos dez primeiros minutos, mas tomou um gol aos 11 e simplesmente parou de jogar.

De todos os jogos realizados pelo Sport até agora, a grande atuação foi contra o Náutico, na Ilha do Retiro. O Timbu chegou na partida líder do Campeonato Pernambucano e invicto na temporada, mas encontrou um Leão brigador, que venceu por 2 a 0 e teve até vaga para mais.

Os jogos contra Fortaleza e Central, também na Ilha, e América-PE, no Arruda, são bons exemplos de que o time passou boa parte dos 90 minutos melhor em campo.Em compensação, não faltam exemplos de atuações ruins.

Logo no começo do ano, duas derrotas seguidas para Salgueiro e América-PE. Na primeira, um time passivo em campo que viu o Carcará conquistar os três pontos.

Na segunda, muita pressão, mas nada de gols e uma falha na defesa que acabou culminando numa derrota vexatória. Outros jogos que entram no grupo dos que precisam ser apagados foram contra River-PI e Salgueiro, ambos na Ilha do Retiro, e Fortaleza, no Castelão, onde o time não conseguiu mostrar quase nada durante os 90 minutos.

Num comparativo com as 20 equipes que vão disputar a Série A, fica clara a oscilação do Sport no ano. Com 28 gols marcados, tem o quinto melhor ataque, com uma média de 1,75 gol por jogo.

Só perde para Coritiba, Chapecoense, Grêmio e Fluminense. Em compensação, também está no topo da tabela quando o assunto são os gols sofridos.

Com uma média de um por jogo, só é melhor do que Fluminense, Palmeiras e Ponte Preta. América-MG e Figueirense possuem a mesma média.

.

Fonte: Globo Esporte