O
meia Cleiton Xavier, que não atua pelo Palmeiras há mais de sete meses,
participou de trabalho intenso de ataque contra defesa na companhia dos
jogadores reservas, na tarde desta segunda-feira, na Academia de
Futebol.Foi
à sua medida, já que deixou o campo na parte final da atividade – por
determinação da comissão técnica –, mas se tratou de um avanço
importante na recuperação. No sábado, ele já havia trabalhado em espaço
reduzido com atletas que não seriam relacionados para o clássico contra o
Corinthians.

Cleiton
jogou pela última vez em 19 de agosto. De lá para cá, sofreu com lesões
consecutivas.

A última delas se deu na pré-temporada, em Itu, quando
machucou a panturrilha direita.E MAIS: Pressão psicológica e estudo: por que Prass vai tão bem nos pênaltisO
prazo inicial de recuperação era entre seis e oito semanas.

Já se
passaram 11, período em que teve avanços seguidos de retrocessos na
transição entre o departamento médico e os trabalhos com bola.– Ele cumpre um trabalho individualizado, em função dos exames que
fizemos.

Vocês vão se habituar a vê-lo fazendo trabalhos específicos
para que tenhamos o máximo dele com menor risco possível – justificou o
chefe do departamento médico do clube, Rubens Sampaio, em março.> TABELA DO PAULISTÃO> TABELA DA LIBERTADORESDe
volta ao clube na temporada passada, depois de quase cinco anos no
futebol ucraniano, Cleiton tem apenas 17 jogos disputados com a camisa
alviverde na passagem atual.

Embora não tenha sido inscrito no
Campeonato Paulista, faz parte da lista da Taça Libertadores.
.

Fonte: Globo Esporte