A torcida do Barcelona se mobiliza por homenagens a Johan
Cruyff, que morreu nesta quinta-feira. Eterno ídolo do clube catalão, o
holandês virou referência dos culés como jogador e técnico. Os fãs levaram camisas, flores e faixas ao
Camp Nou nesta sexta-feira para lembrar do camisa 14.

Mensagens chegam de vários países, em diversos idiomas.Os torcedores levaram até mesmo pirulitos e deixaram em
frente ao Campo Nou.

Cruyff, após sofrer um infarto e parar de fumar, trocou o
cigarro pela guloseima e acabou criando um símbolo de sua passagem como
treinador do Barcelona.Após encerrar a carreira como jogador em 1984, Cruyff teve a
primeira experiência como treinador em 1986, no Ajax.

No clube holandês, ele
ficou até 1988 e levou a Recopa Europeia em 1986-87. Porém, chegou ao seu auge
no banco de reservas no comando do Barcelona.

Assumiu o clube catalão em 1988,
e permaneceu no comando até 1996.LEIA MAIS:>  Após lutar contra câncer no pulmão, Johan Cruyff morre aos 68 anos >  Romário lamenta morte e homenageia “mestre” Cruyff: “Eu perco um amigo” Na Catalunha, ele foi o responsável por uma filosofia
de jogo que marca o Barcelona até hoje, passando pelas categorias de base e
chegando ao time profissional.

Toque de bola, domínio do adversário, jogo
bonito e ofensivo. Tudo o que Messi & Cia desempenham até hoje.

Conquistou inúmeros títulos, formou verdadeiros esquadrões,
como o Dream Team de 1992, que conquistou a primeira Liga dos Campeões da
história do clube. Quem estava no time campeão como jogador era Pep Guardiola,
que depois se tornou treinador e ganhou tudo no Barcelona seguindo a filosofia
do holandês.

 
.

Fonte: Globo Esporte