O que era para ser um dia de festa nos estádios, com mais um clássico do futebol brasileiro, acabou se tornando uma tragédia. Antes de Palmeiras e Corinthians, que foi realizado no Pacaembu, uma briga entre as torcidas organizadas deixaram pessoas presas e uma acabou morta nos confrontos que aconteceram em três regiões da grande São Paulo. Durante o “Seleção SporTV”, Belletti, visivelmente emocionado, fez um desabafo sobre mais uma morte relacionada a brigas entre membros de facções organizadas dos clubes.

O comentarista do SporTV revelou que já sofreu na pele com ameaças de torcidas organizadas e afirmou que essa situação só irá mudar quando a tragédia for maior. O ex-jogador acredita que as autoridades que, segundo ele, se escondem de tomar atitudes, só irão se manifestar quando alguém “importante” do país estiver envolvido nessa situação.

Situação após a briga entre torcidas do Corinthians e Palmeiras (Foto: Helio Torchi/Simapress/Estadão Conteúdo)- Quando você fala que é normal o que está acontecendo, que um dia de clássico morre gente aí é o fundo do poço. Com relação a segurança e briga entre torcidas, o esporte já está no fundo do poço, só que alguém parece que está esperando uma tragédia maior.

Mais mortos, ou morrer o filho de uma pessoa importante do país por bala perdida para se tomar uma providência. Porque essa pessoa que morreu ontem é pai de alguém ou é filho de alguém e não tem nada a ver com o esporte, com o futebol.

Perdeu uma vida, vai deixar saudade na família, foi uma tragédia que não tem cabimento, só que as pessoas que precisam tomar providências estão se escondendo. A gente sabe disso, todo mundo sabe disso, que na hora de tomar uma providência, não toma por medo, por saber que é perigoso tomar uma providência, que vão descobrir e vão atrás dessa pessoa.

Assim é o futebol. Eu já sofri agressão de torcida organizada, sei muito bem como é isso.

Fui ameaçado durante muito tempo, mas só vai mudar, quando uma pessoa importante nesse país, familiar, ou filho de alguém importante sofrer as consequências – desabafou.> “Próximo Corinthians x Palmeiras vai ter morte de novo”, desabafa Cereto  > Promotor pede extinção de torcidas organizadas após morte em São PauloO locutor Jader Rocha também recordou situações de perigo quando esteve perto das organizadas e garantiu que esse problema é um caso antigo no futebol brasileiro.

 – Eu lembro quando era repórter de rádio, passei por situações difíceis de os caras te cercarem, te pressionarem, te baterem, não comigo, mas com colegas. Você fica intimidado.

Isso não muda há 30, 35 anos. Lembro de pequeno, de torcida levar bandeira de bambu, tirar a bandeira e começar uma briga, com criança correndo.

Aquele negócio absurdo – completou.  
.

Fonte: Globo Esporte