Temida pelos adversários que tem o Boca Juniors pela frente, a Bombonera pode deixar de sediar os jogos da equipe argentina em um futuro não muito distante. Isso porque o clube tem o projeto de construir um novo estádio, próximo ao local onde fica o atual, e deixaria a antiga casa para receber shows e outros eventos. Uma assembléia nesta quinta-feira pode definir os rumos do projeto, quando será discutida a compra dos terrenos onde seria erguido o novo estádio, apesar da reprovação da maioria dos sócios (assista ao vídeo).

Segundo o jornalista Ariel Palacios, uma pesquisa feita entre os sócios do clube aponta que 73% são contrários à troca da Bombonera por uma nova casa. O próximo passo pode ser dado através da aquisição da área no entorno do atual estádio.

– Esse projeto retomou com força nos últimos quatro meses e, por isso, na quinta-feira, o clube realizará uma assembleia para aprovar ou não uma oferta do clube à cidade de Buenos Aires por uns terrenos  que ficam quase ao lado do Boca Juniors para ali construir o novo estádio. Uma pesquisa indica que 73% dos sócios não querem deixar La Bombonera.

Mas em nenhum dos projetos está prevista uma demolição de La Bombonera. O que seria feito é que o velho estádio, caso isso se concretize, seria coberto e serviria como mix de lugar para shows e como museu – explicou, no “Redação SporTV”.

 Clube tem planos de construir outro estádio nas proximidades da atual Bombonera (Foto: Reprodução SporTV)Conforme o projeto, a intenção do clube é expandir sua área no bairro onde já está fixado, no bairro La Boca, em Buenos Aires. Para Palacios, ainda que consiga manter as características, o Boca Juniors deixaria muito para trás ao jogar na nova casa.

– A Bombonera é o templo do futebol na Argentina, uma espécie de catedral do futebol, mesmo que não seja o estádio de maior tamanho. Seria como trocar a catedral de Notre-Dame (em Paris) por outra igreja nova em folha feita de concreto e vidro, uma heresia.

Muitos torcedores consideram que trocar La Bombonera por um estádio novo seria como deixar de lado a história do velho estádio, construído em 1940, abandonar o clima mítico e, além de tudo, deixar de lado a acústica, que faz que os torcedores sintam a vibração em seus pés. Segundo a “filosofia” de Sérgio Reis, panela velha é que faz comida boa, isto é, o futebol na Bombonera tem outro sabor – disse.

O jornalista, no entanto, faz uma ressalva, ao lembrar da parcela favorável ao projeto, e diz que a nova casa resolveria alguns problemas evidentes na atual Bombonera, como questões de segurança, além de ampliar a capacidade, que atualmente é para 49 mil torcedores. – Alguns torcedores alegam que é preciso, por um lado, mais espaço no novo estádio, um lugar com melhores banheiros, mais medidas de segurança, entre outros fatores – completou.

> Confira outros destaques do “Redação SporTV”
.

Fonte: Globo Esporte