O Corinthians aprendeu a jogar sem Elias, mas sabe que o volante tem muito a acrescentar assim que voltar aos gramados. É por isso que a recuperação de uma fissura na fíbula da perna esquerda é tão comemorada pela comissão técnica. Apesar de ver bom padrão de jogo no time, o técnico Tite acredita que Elias é a peça que falta na nova engrenagem alvinegra.

Desde a vitória por 1 a 0 sobre o Cobresal, dia 17 de fevereiro, pela Taça Libertadores, Elias viu a ascensão do novo Corinthians sem poder entrar em campo. Depois daquele jogo, ele teve a lesão detectada e o prazo de recuperação estimado em um mês.

A volta está programada para o clássico contra o Palmeiras, dia 3 de abril, no Pacaembu. Justamente às vésperas das fases decisivas de Campeonato Paulista e Taça Libertadores.

Não que o Timão estivesse mal sem ele: nos dez jogos em que Elias esteve ausente, o Corinthians teve um retrospecto de seis vitórias, dois empates e duas derrotas. Os números podem melhorar nos jogos contra Ituano e Ponte Preta, em casa, nos quais o volante ainda não estará disponível.

– É bom voltar com o time bem. Você sabe que a equipe já está caminhando, você está num processo de reestruturação, mas com a equipe já se entrosando.

Ficamos felizes que, mesmo com perda de jogadores, a equipe manteve o nível. Temos muito a crescer para sermos campeões da Libertadores e do Paulista – afirmou Elias.

LEIA MAIS: Elias faz primeiro treino com bola e fica perto de voltarDe longe, o volante viu a ascensão de dois jogadores em sua posição – ambos com características diferentes, diga-se. Maycon, de 18 anos, passou a ser chamado de “novo Elias” pelo técnico Tite e tem características mais parecidas com a do titular: infiltração, velocidade, transição do meio para o ataque.

No período sem Elias, o garoto fez seis jogos e um gol.Ficamos felizes que, mesmo com perda de jogadores, a equipe manteve o
nível.

Temos muito a crescer para sermos campeões da Libertadores e do
PaulistaRodriguinho é um meia que costuma jogar mais avançado, mas se adaptou rapidamente à nova função. Com melhor qualidade no passe, mas sem tanta velocidade, tornou-se a opção preferida de Tite para o lugar de Elias.

O meia participou de sete jogos e fez três gols, dois deles na vitória por 3 a 0 sobre o São Bernardo, quarta-feira passada.– O Tite é correto naquilo que ele faz.

O mais importante é que os jogadores que chegam entram na filosofia que ele implantou, de treinamento forte e intenso. A tendência é o nível técnico da equipe crescer – comemorou Elias.

Com a volta do volante e também e Marlone, recuperado de lesão no tornozelo, Tite, enfim, tem elenco completo à disposição. Nem mesmo Rodriguinho, que sentiu dores musculares no último jogo, será problema para as partidas decisivas que estão por vir.

.

Fonte: Globo Esporte