Breno ainda não tem prazo para voltar aos gramados, mas há boas notícias sobre sua recuperação. O derrame articular (popularmente conhecido como líquido no joelho) que insistia em atrasar sua reabilitação foi estabilizado há cerca de três semanas. Atualmente, o zagueiro passa por um rigoroso processo de fortalecimento muscular, necessário a qualquer jogador após lesões, e ainda mais especial no caso dele, que vem de um longo período de inatividade.

O derrame foi o último de uma série de problemas que começaram a surgir no ano passado em seu joelho direito. Em outubro de 2015, resultado de muitas dores, o departamento médico decidiu fazer uma artroscopia diagnóstica para detectar a causa do incômodo.

O cirurgião Rene Abdalla, que sempre auxilia o clube nesse tipo de procedimento, diagnosticou uma pequena lesão no menisco, e solucionou durante a cirurgia.O zagueiro teve apenas uma semana de férias, e passou o restante do tempo em reabilitação para estar apto a iniciar a pré-temporada.

Conseguiu. Treinou sempre com os companheiros e foi titular tanto no amistoso contra o Cerro Porteño, no dia 20 de janeiro, como na primeira partida oficial do ano, o empate com o RB Brasil, 10 dias depois.

Nesse jogo, porém, Breno teve que ser substituído por dores no mesmo joelho. O problema, dessa vez, era uma tendinite.

– Nós paramos para tratar a tendinite, a coisa começou a evoluir, só que aí ele teve um derrame articular. Não esperávamos porque ele nunca havia tido e nem estava treinando ou fazendo qualquer exercício que justificasse.

O tempo se estendeu porque o derrame não ia embora. Fazíamos a medicação, mas ele voltava.

Há umas três semanas conseguimos controlar e o derrame parou de se refazer – explicou José Sanchez, médico do São Paulo.Sanchez não dá prazo para Breno voltar aos treinos.

Ele só será liberado quando sua perna direita tiver a musculatura necessária para evitar novos problemas de maior gravidade.Ele perdeu muito músculo porque estava parado, agora está só fortalecendo.

O derrame não voltou, mas há o risco de torcer o joelho de novo se não estiver fortalecido. Não podemos dar prazo, mas se não aparecer nenhuma intercorrência, podemos dizer que é uma reta final da recuperação – Ele perdeu muito músculo porque estava parado, agora está só fortalecendo.

Está relativamente bem em relação à dor, mas precisa fortalecer a coxa. Ele tem uma coxa muito grande.

O derrame não voltou, mas há o risco de torcer o joelho de novo se não estiver fortalecido. Não podemos dar prazo, mas, se não aparecer nenhuma intercorrência, podemos dizer que é uma reta final da recuperação – afirmou o médico.

Breno voltou a jogar no ano passado, após quatro anos sem entrar em campo. O jogador foi preso na Alemanha por incendiar a própria casa.

Sanchez lembra que isso aconteceu pouco depois da primeira cirurgia em seu joelho direito, em 2012.– É um caso único no mundo de atleta que ficou quatro anos parado.

E é preciso levar em conta que esse longo período aconteceu logo após ele ter operado o joelho. No momento em que ele mais precisava trabalhar, ficou impedido de fortalecer.

Ele está bem, pena que tenha ainda limitação de massa muscular, mas está indo bem – disse Sanchez.Outro fator que anima o São Paulo quanto à recuperação de Breno é sua animação no dia-a-dia.

Não há uma palavra de reprovação ao comportamento do zagueiro, que iniciou o ano como titular, e, quando voltar, terá de disputar posição com Maicon, Rodrigo Caio e Lugano, que se alternam na equipe. A primeira meta, entretanto, é trocar o Reffis pelo gramado.

.

Fonte: Globo Esporte