A Câmara dos Deputados instaurou nesta terça-feira a CPI da CBF e Fifa. A comissão, a exemplo da semelhante que ocorre no Senado, presidida pelo senador Romário, investigará indícios de corrupção envolvendo as duas entidades. Na reunião desta terça-feira, que marcou o início dos trabalhos, foram eleitos o presidente da CPI, o deputado federal Laudivio Carvalho, e o relator, o deputado federal Fernando Monteiro.

Ao todo, a comissão será composta por 28 deputados. Entre os presentes na reunião, estava o deputado e ex-judoca João Derly, responsável por colher as assinaturas dos parlamentares que viabilizaram a criação da comissão.

Para o relator da comissão, deputado Fernando Monteiro, a ideia da CPI não é promover uma caça às bruxas. – Uma comissão não serve apenas para investigar e punir.

Vamos ver o que está errado e aí punir, mas uma CPI também pode servir como instrumento de legado. Apesar de não ter sido dirigente, sou apaixonado por futebol e estudo o esporte há mais de 15 anos.

O futebol é a paixão do brasileiro. Vamos tentar promover mudanças positivas no futebol brasileiro.

Não quero caçar bruxas – disse. A intenção da comissão é trabalhar em conjunto com a CPI instaurada no Senado.

Anteriormente, cogitou-se a instalação de uma comissão mista, contando com membros do Senado e da Câmara. Os senadores, entretanto, saíram na frente e criaram a comissão ainda em 2015.

No fim do ano passado, a CPI no Senado foi prorrogada e terá duração até agosto. A próxima reunião da CPI da CBF e Fifa na Câmara já está marcada.

Ela ocorre nesta quinta-feira e, entre os itens da pauta, estão a apresentação do plano de trabalho da comissão e a apreciação de requerimentos. 
.

Fonte: Globo Esporte