A chuva forte daquela tarde de domingo castigou o gramado, mas não impediu um dos maiores chocolates vascaínos. Logo aos 4 minutos de jogo, Dodô recebeu o passe, passou pelo primeiro marcador e soltou a bomba no canto direito do goleiro Jéferson. O primeiro gol de Dodô com a camisa cruzmaltina.

Aos 14 minutos, Eduardo do Botafogo foi expulso por falta violenta. O Vasco se manteve com a posse de bola e tendo as melhores oportunidades até que aos 32 minutos, Carlos Alberto cruzou e Dodô fez seu segundo gol.

Não deu tempo nem da torcida comemorar e em contra-ataque rápido, Souza dá o passe em profundidade e de cavadinha, Dodô faz o terceiro do Vasco. Festa em um dos lados do engenhão.

Carlos Alberto saiu machucado ainda no primeiro tempo quando a torcida do Vasco já gritava “Olé”.
No intervalo o estreante Loco Abreu foi substituído por Somália e viu do banco o Vasco ampliar a vantagem.

Aos 10 minutos do segundo tempo, Léo Gago de falta, transformou em goleada com um chute forte. Com o placar e a atuação, a vitória já era certa, mas o placar indefinido.

Quem definiu foi Philippe Coutinho que fez seus dois primeiros gols como profissional fechando a goleada, 6 a 0.
Em campo, o Vasco diminuiu o ritmo mas a torcida pedia “mais um”, para igualar o 7×0 que o Vasco de Romário aplicou no Botafogo em 2001, mas não veio, fim de jogo, Vasco 6×0 Botafogo.

Há quem diga que graças a esse jogo, o Botafogo se tornou campeão carioca daquele ano. Após o jogo, o técnico do Botafogo, Estevam Soares foi demitido e Joel Santana foi contratado para o seu lugar, Joel arrumou a casa e venceu a Taça Guanabara contra o mesmo Vasco e a Taça Rio contra o Flamengo, no jogo da fatídica cavadinha de Loco Abreu.

.

Fonte: Torcedores.com