Com o empate sem gols com o PSTC, neste domingo, o Paraná Clube fechou a primeira fase do Paranaense com a liderança provisória (veja os melhores momentos do jogo no vídeo acima). A primeira colocação ainda depende do julgamento do Londrina no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), na quinta-feira, onde o Tubarão tenta recuperar os seis pontos perdidos em punição pela escalação irregular de Germano, na estreia. Apesar disso, o técnico Claudinei Oliveira comemorou a liderança tricolor e destacou o trabalho realizado desde o começo da competição.

Olhando o início do campeonato, na montagem da equipe, se a gente falasse em terminar em primeiro, muita gente ia achar absurdo”– Tendo humildade e olhando o início do campeonato, na
montagem da equipe, se a gente falasse em terminar em primeiro, muita gente ia
achar absurdo. Se o campeonato fosse de pontos corridos, seríamos campeões.

Como não é, temos que colocar os pés no chão e saber que nas quartas de final teremos um jogo difícil – disse.Por outro lado, o treinador não gostou da atuação do Paraná no empate com o PSTC.

Claudinei reclamou principalmente do fato do Tricolor não conseguir aproveitar a vantagem de estar com um homem a mais desde o fim do primeiro tempo, quando Rafael Lemes foi expulso. Apesar da vantagem numérica, o time paranista sofreu duas bolas na trave na volta do intervalo e criou poucas oportunidades.

– Não soubemos fazer o dois contra um pelas beiradas do campo.
O Toni e o Yan não conseguiram fazer essa
jogada de ultrapassagem com o Nei.

Na esquerda conseguimos com o Fernandes e o
Carioca, mas o cruzamento não teve tanta qualidade. Com um a mais precisa ter paciência
para rodar a bola e criar as oportunidades pelas beiradas do campo.

 Não conseguimos sair tanto pela direita, pela
esquerda conseguimos mais. Foi isso que faltou, e ainda demos um pouco de chance para
o adversário.

Com um a mais você não pode deixar o adversário jogar bola na
trave. Vamos conversar para quando tiver essa superioridade aproveitar e vencer
os jogos – analisou o treinador.

Leia também:Confira a classificação completa do ParanaenseVC dá Nota: avalie a atuação dos jogadores contra o PSTCParaná vai para a
fase final sem vencer há quatro jogosCom quatro suspensos, o técnico Claudinei Oliveira teve que mudar a equipe, principalmente no setor ofensivo, já que não pode contar com Robson e Nadson. Desta forma, ele optou pela entrada de Rafael Carioca como meia e por Toni no ataque, fazendo dupla com Lúcio Flávio.

Durante a partida, o treinador fez três mudanças: trocou o atacante Toni por Yan Philippe e os volantes Anderson Uchoa e Lucas Otávio por Jean e Allexson. Apesar do time ter a melhor chance com Yan Philippe, as alterações não deram o resultado esperado.

– A gente optou pelo Yan e ele
quase fez um gol de cabeça. É um jogador que não teve oportunidade até então.

A
gente achou que o Toni não estava criando situações aqui em cima do lateral
esquerdo. Optamos pelo Yan pela boa finalização dele e pela entrada na área,
que é boa.

Nas outras substituições tiramos dois volantes e colocamos o Jean
para dar suporte para a defesa e colocamos o Allexson para ficar em um 4-3-3, com
dois meias por dentro. Criamos pouco, poderíamos criar mais e vencer a partida – explicou.

Caso o Londrina não consiga reverter a situação no STJD, o Paraná fica com a liderança e nas quartas de final encara o Foz do Iguaçu, com a primeira partida no oeste do estado e a volta na Vila Capanema. Se o Tubarão recuperar os pontos, o Tricolor fica em segundo e pega novamente o PSTC, com a partida de ida em Cornélio Procópio.

Por enquanto, Claudinei projeta o confronto com o Foz, com quem empatou por 3 a 3 nesta primeira fase.– É uma viagem longa, é bom porque tivemos essa adaptação.

 A gente sabe que não vai ser fácil, temos que jogar muito
mais do que jogamos hoje para poder chegar às semifinais e para a final – disse.Confira mais notícias do esporte paranaense no globoesporte.

com/parana
.

Fonte: Globo Esporte