Horley Senna começou a colocar em prática a promessa de reformular radicalmente o elenco do Guarani após o fracasso na Série A2 do Paulista. Depois de Pegorari e Carpini, outros jogadores já foram avisados que estão fora dos planos para a sequência da temporada. Ao todo, a faxina atingirá 16 nomes, entre eles os atacantes Flávio Caça-Rato e Max, anunciados no início do ano com status de destaques, mas que decepcionaram em campo, assim como a maioria do grupo.

 Dos 28 inscritos, apenas 12 serão poupados da guilhotina da diretoria. Fumagalli puxa a lista, ao lado de Denis Neves, João Paulo e Lenon, além dos jovens Passarelli, Léo Rigo, Wesley, Watson, João Vittor, Lorran, Gabriel Rodrigues e Rai.

Fumagalli e oito atletas oriundos da base possuem vínculo para disputar a Série C. Já para ficar com Denis Neves, João Paulo e Lenon, o Bugre precisará renovar, uma vez que o vínculo deles termina em maio.

 – Esses nomes (acima citados) ficam no elenco. Nossa intenção é iniciar os trabalhos com 12 jogadores, incluindo os garotos da base – afirmou o presidente Horley Senna, confirmando que as demais peças serão liberadas.

 A extensa relação de dispensados tem os goleiros Pegorari e Gatti, os laterais Oziel, Eduardo e Mário Sérgio, os zagueiros Lucas Bahia, Carpini e Mateus Alves, os volantes Diego Tabata e Diego Silva, o meia Douglas Packer e os atacantes Flávio Caça-Rato, Max, Bruno Santiago, Marcelinho e Ricardinho, que já estava afastado havia um tempo. SAIBA MAIS:> Guarani confirma e apresenta Marcelo Chamusca como novo técnicoEntre os 16 nomes, tem gente que simplesmente não será chamado para renovação.

É o caso de Caça-Rato, com vínculo até 30 de maio. Se sua chegada deu visibilidade ao Bugre, o retorno dentro de campo não foi o esperado.

Em sete participações, sendo seis como titular, saindo em todas, fez apenas um gol e perdeu boa parte da reta final devido a um problema muscular. Situação semelhante viveu Max.

A diferença é que Max passou um período ainda maior no departamento médico. Foram apenas três jogos – substituído em dois – e um gol.

Os dois voltaram na última rodada contra o Barretos, mas não evitaram a derrota por 2 a 0 para o Barretos e, consequentemente, a eliminação na primeira fase. Já com quem tem contrato até o fim do ano, grupo no qual Max se encaixa, a diretoria alviverde buscará acordos para diminuir o risco de ações judiciais.

O processo de demissão já começou. Alguns atletas, como Caça-Rato e Mateus Alves, já passaram no Brinco de Ouro para assinar a rescisão.

 Diante da limpeza no elenco, a maior preocupação de Horley é tentar evitar o aumento do passivo trabalhista do Guarani. No fim do ano passado, por exemplo, uma ação coletiva de 15 atletas cobrou até R$ 1 milhão do clube.

 – Estamos trabalhando no sentido de regularizar a questão trabalhista, conversando um por um. Nossa intenção é alinhar a situação para ter uma definição no mais tardar até o início da próxima semana.

Tenho convicção que os acordos vão sair, são pessoas coerentes – comentou o mandatário bugrino, econômico nas palavras. VEJA TAMBÉM:> Eliminação força Guarani a novo longo período de inatividadeA reformulação também respingou na comissão técnica, com as saídas do preparador físico Thiago Vegetti e do fisioterapeuta Guilherme Piorezin, e pode sobrar até para o superintendente Waldir Lins.

Os próximos passos do planejamento serão definidos em conjunto com o novo técnico Marcelo Chamusca, bem como as indicações de reforços. O pacote de caras novas terá de ser grande, para repor a barca que vazou do Brinco.

Mais cauteloso que Horley, Chamusca prefere aguardar o desenrolar dos fatos antes de tomar qualquer decisão. – Não posso passar ainda a relação de quem fica e quem sai.

Alguns jogadores deverão permanecer. Mas vai que eu fale um nome agora e, de repente, esse nome acaba não ficando.

Mas tenha a certeza que todos que ficarão terão o meu aval e da diretoria. O detalhe é que a declaração do treinador foi dada antes do discurso do presidente, que foi direto ao assunto e bancou a faxina geral no elenco alviverde, bem como havia ameaçado fazer uma limpa no grupo depois da derrota por 2 a 1 para o Atlético Sorocaba, em caso de eliminação, o que acabou acontecendo.

 
.

Fonte: Globo Esporte