O mal mais falado, talvez até mais que a própria LDU, é a altitude de Quito. Os 2,8 mil metros acima do nível do mar trouxeram o Grêmio para a capital equatoriana com seis dias de antecedência antes da partida. Um comportamento dos últimos quatro jogos consecutivos do Tricolor pode virar uma arma gremista contra a altitude: gols antes dos 15 minutos (confira no vídeo acima).

 LEIA MAIS> Com Walace mancando, Grêmio chega a Quito> Grêmio empresta Fernandinho para o FlamengoNas últimas quatro partidas, todas pelo Campeonato Gaúcho, o Grêmio conseguiu pressionar os adversários e saltar na frente no placar rapidamente. O que seria um remédio bastante efetivo para aguentar a pressão que se avizinha da LDU, embora o momento do rival seja ruim.

Se, claro, a parte física deixar.- Luan fez o bloqueio no jogador do Brasil para permitir que o Pedro entrasse livre na pequena área e conseguisse fazer esse gol no início que foi muito importante para a gente.

É difícil jogar para empatar. Tem que abrir mão de atacar.

Empate é bom, mas a vitoria é perfeita. Você perde a capacidade ativa e fica só reativa.

Até pela altitude você marca em um bloco mais baixo. E você pode retomar a bola e atacar com mais velocidade.

Muda a estratégia. Quero buscar a vitoria – comentou Roger.

 Na goleada sobre o Brasil de Pelotas, na última quarta, Pedro Geromel completou cruzamento de Douglas e inaugurou o placar aos dois minutos. O Grêmio ampliaria o placar ainda no primeiro tempo e venceria por 4 a 1, classificando-se para as semifinais do Gauchão.

Na última rodada da fase de grupos, o 2 a 2 insosso com o Juventude, foi o camisa 10 Douglas que escorou rebote para fazer o primeiro aos 3 minutos. Antes, dia 30 de março, na goleada por 5 a 1 sobre o Passo Fundo, talvez o grande exemplo.

Aos 25 minutos, estava 4 a 0. Aos 6, Bobô aproveitou passe de Fernandinho, emprestado ao Flamengo, e balançou as redes.

Dois minutos depois, o volante Walace fez o segundo. A dupla ainda é dúvida do Grêmio para a partida contra a LDU, com problema muscular e torção no tornozelo, respectivamente, serão reavaliados.

 Um gol antes dos 15 minutos cairia como uma luva, certamente, em Quito, nos 2,8 mil metros de altitude. Pressionaria a LDU a sair ainda mais para o jogo e deixaria mais espaços para o Tricolor buscar o contra-ataque.

Em Porto Alegre, no 4 a 0, por sinal, foi assim que o Grêmio encontrou o gol de Bolaños. O Grêmio promete atacar os equatorianos no Casa Blanca, na próxima quarta.

 – A gente vem para propor o jogo, como todos os jogos que entramos, para sair com a vitória. Vai ser difícil, contra uma time que é bom taticamente, mas vamos  para ganhar a partida – explicou o lateral Marcelo Hermes, substituto do seu xará Oliveira, suspenso.

A chegada a Quito teve clima leve da delegação. Os jogadores estavam com semblante cansados, mas sorriram ao encontrar alguns integrantes da delegação do Atlético-MG, que deixava a capital do Equador naquele momento, após perder para o Independiente del Valle.

O Grêmio tem uma equipe encaminhada, mas ainda sem confirmação. Até por conta das situações clínicas de Bobô e Walace.

Na lateral, Wallace Oliveira permanece como  titular. Na esquerda, Hermes entra.

E no meio-campo, a tendência é que Edinho substitua Maicon, suspenso, e forme dupla com Walace, se este reunir condições. No ataque, Douglas, Giuliano, Luan e Bobô formariam o setor.

O Grêmio fará seis treinamentos com bola em solo equatoriano. A programação prevê atividade em dois turnos no sábado.

Nesta sexta, ocorre o primeiro treino com bola, no CT da seleção do Equador, já que os atletas permaneceram na academia nesta quinta-feira. Confira as notícias do esporte gaúcho no globoesporte.

com/rs
.

Fonte: Globo Esporte