Depois do empate diante do Uruguai na última sexta-feira, a seleção brasileira terá mais um difícil compromisso pelas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018. Na próxima terça, o rival será o Paraguai, às 21h45 (de Brasília), no Estádio Defensores del Chaco, em Assunção. A Albirroja tem os mesmos oito pontos que o time de Dunga – perde nos critérios de desempate – na competição e dois jogadores que atuam no Brasil, como o zagueiro Fabián Balbuena, do Corinthians.

Em português claro, ele resumiu o momento de sua equipe e mandou um recado após o treinamento deste domingo.- Toda seleção que vem jogar aqui precisa ter cuidado, é isso que eu posso dizer.

Todos conhecem as características dos jogadores paraguaios. Temos raça, não deixamos uma bola perdida.

Hoje estamos com um treinador que trabalha muito, temos jogadores de qualidade. É um toque de futebol importante nessa época do futebol de força física.

Estamos bem entrosados nesses aspectos. Por isso repito: toda seleção que vem aqui precisa ter cuidado.

Estamos tranquilos e confiantes – resumiu Balbuena, que nasceu e cresceu em Ciudad del Este, na fronteira com o Brasil, em português claro.Enquanto o Brasil tropeçou no Uruguai, o Paraguai trouxe um bom resultado de Quito na última rodada: vencia o líder Equador até o último minuto e levou o empate.

A sorte que faltou em campo, sobrou antes do jogo da próxima terça: Neymar levou o segundo amarelo em Recife e está suspenso do confronto no Defensores del Chaco.- O Neymar é um jogador muito bom, não existe outro.

Mas o Brasil tem outros jogadores que podem suprir essa ausência. Temos que ter cuidado com todos.

Mas estamos trabalhando bem e isso nos dá confiança. Respeitamos o Brasil, mas estamos confiante.

E quando o Paraguai joga em casa com o estádio cheio, é sempre uma pressão a mais para os rivais.Enquanto Balbuena será reserva contra o Brasil, o outro ”brasileiro” do elenco, Lucas Barrios, do Palmeiras, disputa uma vaga no ataque.

Presente nas eliminações sobre a Seleção nas últimas duas Copa Américas, em 2011 e 2015, o jogador avisou que o momento é diferente.- Fizemos uma grande partida no ano passado e deixamos o Brasil pelo caminho, mas agora é uma competição diferente.

Queremos deixar os três pontos em casa. O Neymar é um jogador muito importante e sabemos o que ele representa.

Mas o Brasil tem substitutos. Temos de estar concentrados durante os 90 minutos – resumiu.

.

Fonte: Globo Esporte