O Miami Beckham United, grupo de investidores que busca materializar essa empreitada, anunciou nesta quinta-feira (24) a compra de um terreno de cerca de 26 mil metros quadrados no bairro de Overtown, na Flórida. O terreno foi o local escolhido para a construção do futuro estádio do seu clube, com capacidade para 25 mil pessoas. Para que Beckham possa construir no terreno, é necessário conseguir a aprovação pública para a aquisição de uma outra parcela adjacente, com aproximadamente 10 mil metros quadrados e que pertence à prefeitura de Miami, avaliada em 9 milhões de dólares (cerca de R$ 33 milhões).

Depois disso, o próximo passo é conseguir a autorização municipal de zoneamento.
Antes da escolha do bairro de Overtown, o Miami Beckham United passou dois anos procurando um local para se estabelecer.

PortMiami, região portuária da cidade que abriga a AmericanAirlines Arena, casa do Miami Heat, equipe da NBA, e Little Havana, onde está localizado o Marlins Park, do time de beisebol Miami Marlins, foram dois dos locais considerados pelo grupo, mas as negociações não foram adiante.
A criação de um novo clube faz parte do negócio que levou David Beckham a jogar no LA Galaxy, em 2007.

O contrato previa a possibilidade da compra de uma franquia de expansão na , opção exercida pelo ex-jogador dos Red Devils em fevereiro de 2014.
No dia 17 de dezembro de 2015, o Miami Beckham United apresentou o projeto do estádio à MLS e ao poder público de Miami.

Entre as condições para a construção estão o financiamento 100% privado, sem subsídios da prefeitura ou do condado, pagamento de impostos do terreno por parte do Miami Beckham United, estabelecimento de parcerias com as escolas de Miami e a realização de um processo transparente com o poder público. Além disso, Carlos Gimenez, prefeito de Miami, também pretende que o grupo de investidores garanta que o estádio gere emprego para a população local.

Abaixo está uma prévia de como poderá ser o estádio.
Crédito da foto: Reprodução/Apresentação oficial da MLS MiamiAlém de David Beckham, o Miami Beckham United é composto por mais três investidores.

Marcelo Claure, presidente da empresa de telecomunicações Sprint, Tim Leiweke, antigo presidente da Maple Leaf Sports & Entertainment (dona do time de hóquei no gelo da Toronto Maple Leafs, do Toronto Raptors, da , e do Toronto FC, equipe da MLS onde atua Sebastian Giovinco, ex-Juventus), e Simon Fuller, criador do programa American Idol e empresário de David e Victoria Beckham.
A expansão do número de equipes na MLS vai de encontro com o crescimento do futebol nos Estados Unidos da América.

Atualmente, a MLS conta com 22 franquias, mas já há previsão de ter pelo menos 24 até 2020. As cidades de Atlanta e Minnesota se juntarão à MLS em três anos e com o passo dado pelo Miami Beckham United, Miami também poderá estar perto de ter uma equipe no principal escalão do futebol estadunidense.

“Não há falta de demanda de franquias de expansão na MLS e acreditamos que existe oportunidade de ir além do nosso plano atual. Iremos avaliar a possibilidade de aumentar o número de equipes para 28 e estabelecer um processo e data limite para o caso de decidirmos avançar com a expansão”, afirmou Don Garber, comissário da MLS, em comunicado emitido em dezembro do ano passado.

“Grande notícia: estamos mais próximos do terreno do nosso estádio em Miami. Entusiasmado por trazer um clube de classe mundial da MLS para os nossos torcedores”
Crédito da foto: Reprodução/Facebook oficial de David Beckham

.

Fonte: Torcedores.com