Princesa e Chapecoense dueram nesta quarta-feira, no estádio Gilberto Mestrinho, o Gilbertão, em Manacapuru, pela partida de ida da primeira fase da Copa do Brasil. O time da casa até abriu o placar, mas sucumbiu diante do melhor volume de jogo do adversário e saiu de campo derrotado por 2 a 1. Com o revés consolidado, o treinador do Tubarão do Norte, Zé Marco, preferiu elevar o nível técnico do rival a reclamar do desempenho de seus comandados.

No entanto, ele ressaltou uma crítica coletiva: a falta de concentração do elenco, principalmente no final de cada tempo: a equipe sofreu o primeiro gol os 47 minutos do tempo inicial e sofreu a virada aos 45 da etapa complementar. – Nós fizemos nosso primeiro jogo oficial na temporada diante de uma equipe invicta há 16 jogos.

  A Chapecoense foi campeã do primeiro turno do Catarinense. É vice do segundo turno.

Não estou feliz, obviamente, porque quando a gente consegue igualar um jogo difícil, não pode tomar dois gols da forma que tomamos. Uma bola de escanteio, quando há tempo de organizar a marcação, e o segundo também não podíamos ter deixado o cara finalizar.

faltou concentração, que foi o que mais cobramos – disse o técnico.Apesar de mencionar a falta de concentração de seus jogadores, Zé Marco acredita que o segundo gol ocorreu por conta da um lance de azar.

De acordo com ele, o volante josimar estava livre de marcação. Fizemos um jogo de razoável para bom.

Dentro das possibilidades,
conseguimos igualar. Oscilamos em alguns momentos.

Eles tiveram mais
volumes que nós, não seremos hipócritas. – No segundo gol eu chamei o Parintins para passar algumas instruções e, nesse momento, sofremos o gol.

Josimar ficou livre. A ironia do futebol.

..

Eu chamei o Michel e o jogador que ele teria que marcar sobrou  – lamentou.O comandante ainda enfatizou a garra da equipe ao longo dos 90 minutos.

E, na avaliação dele, o Tubarão criou tantas oportunidades quanto a Chape.- Nós criamos.

Chegamos com Edinho, com Nando, com Michel, mas não conseguimos concluir para o gol. É futebol.

Também não podemos cobrar perfeição. A gente vem trabalhando, vem evoluindo, mas ainda estamos no começo da temporada.

Nosso time não deixou de lutar. Fizemos um jogo de razoável para bom.

Dentro das possibilidades, conseguimos igualar. Oscilamos em alguns momentos.

Eles tiveram mais volumes que nós, não seremos hipócritas. No contexto geral, acredito que o jogo foi muito parelho.

Eles foram mais felizes e, para nós, faltou concentração – acrescentou.Questionado sobre as chances de seguir na competição nacional, Zé, apesar de avaliar como remotas, disse que no futebol tudo é possível.

– Temos que jogar o jogo como jogamos aqui. Vamos trabalhar as falhas que tivemos.

Vamos procurar honrar a camisa do Princesa. Não vamos nos acovardar.

É o mesmo Chapecoense, mesma estrutura, time de Série A do Campeonato Brasileiro, mas o futebol são 11 contra 11 – finalizou.Jogo de voltaCom o resultado, o Princesa do Solimões vai com difícil missão para o
jogo de volta, que acontece na próxima quinta-feira (14), na Arena
Condá, às 21h30
(horário de Brasília).

Caso o Tubarão do Norte vença por 3 a 2, 4 a 3 e assim por diante, fica
com a vaga. Se a segunda partida terminar 2 a 1 para a equipe
amazonense, a disputa vai para os pênaltis.

 
.

Fonte: Globo Esporte