Cuca tem apenas sete jogos como técnico do Palmeiras, mas seu trabalho já é bem visto dentro do elenco. Contra o Rosario Central, em um jogo de vida ou morte na Taça Libertadores da América, o treinador apostou em um esquema com três zagueiros – mesmo sem tê-lo ensaiado em treinos. A equipe ficou no empate por 3 a 3, mas esteve duas vezes à frente do placar no estádio adversário.

Clique aqui e veja como foi o jogo.Cientes do tempo reduzido para montar a equipe em campo, com compromissos pela Libertadores e também pelo Paulistão, os jogadores têm gostado das novas ideias propostas pelo técnico.

Após quatro derrotas consecutivas em suas primeiras partidas, Cuca agora acumula duas vitórias (incluindo um clássico contra o Corinthians) e um empate nos últimos confrontos.– Ele ainda não conseguiu chegar na equipe ideal, sabe que a gente oscilou muito nos últimos jogos, então está na busca.

Tem jogo que é difícil, tem de mudar o esquema mesmo, tentar encaixar com o deles. (O Rosario) É um time que joga com muito jogador na frente, eu acho que ele foi bem na escolha de colocar três zagueiros.

Conseguiu equilibrar bem – opinou o meia Robinho.Clique aqui e veja o que o Palmeiras precisa fazer para avançar na LibertadoresOutras inovações aconteceram nas partidas anteriores.

A equipe tem mudado de acordo com o ponto forte do adversário. Diante do Rio Claro, por exemplo, Cuca apostou em Alecsandro como homem de meio-campo – o rendimento foi bom, e o Palmeiras venceu por 3 a 0.

Contra o Corinthians, escalou Robinho e Zé Roberto no meio-campo, com ambos adiantados, marcando os laterais do rival. Quebrou o estilo de jogo alvinegro, caracterizado pela troca de passes, e saiu do Pacaembu encerrando um tabu de 21 anos – período em que o Palmeiras não levava a melhor no Dérbi no estádio municipal.

Dicas individuais a alguns jogadores também têm funcionado bem. Cuca tem o costume de conversar particularmente com certos atletas durante as atividades.

Gabriel Jesus, por exemplo, ganhou liberdade no setor ofensivo e marcou dois dos três gols palmeirenses no empate por 3 a 3 com o Rosario Central.– Era pra eu atacar.

O Cuca viu isso e foi feliz. Eu também fui muito feliz, me deu um novo posicionamento.

Qualquer resvalada do adversário eu conseguia sair na velocidade e ficar de frente para o gol – comentou o atacante.Curiosamente, o próprio técnico disse que prefere ter um esquema tático definido.

Mesmo com as mudanças constantes dando certo, Cuca quer o Palmeiras com uma identidade própria.– Eu não gosto de fazer isso (mudar o time), sinceramente.

Gosto de ter um jeito de jogar e dar uma sequência ao time. Esporadicamente você vai jogar conforme o adversário.

Mas não temos um padrão definido. Esse é o negócio.

Eu tenho analisado bem o adversário, o Cuquinha (auxiliar) tem me ajudado muito. Temos analisado os adversários e montado em cima deles, não só para marcar, mas também para oferecer perigo de alguma forma e escolhendo as peças – disse o treinador.

 
.

Fonte: Globo Esporte