caiçara rebate situação Os jogadores do Caiçara não recebem
salários desde quando começaram a treinar para o Campeonato Piauiense, em
janeiro. Sem nenhum dinheiro até hoje, os atletas relaram conviver uma situação complicada
no clube piauiense, atualmente na zona de rebaixamento do estadual. Nesta
segunda-feira, oito resolveram deixar o time da cidade de Campo Maior, interior do Piauí,
alegando não suportar mais a situação.

Eles fizeram uma reunião e optaram sair. Apenas 10 atletas que começaram o
torneio permanecem no time, e os jogadores da base inscritos no BID deverão ser
usados para completar o time nas próximas cinco rodadas que faltam para acabar o torneio.

A expressão usada pelo grupo é que todos estão no limite.        – É horrível.

Não recebemos nada
até agora, a diretoria não está nem aí para gente. Precisamos pedir recursos
para nossa família, se não fizermos isso não daria para continuar aqui.

Diretoria é um lixo –
relatou um dos jogadores do Caiçara, que pediu para não ser identificado.

A estrutura do clube também é
criticada.

Na derrota para o Piauí, por 2 a 0, na segunda rodada do campeonato,
atletas reclamaram de pouca comida. 

– Chegamos do jogo e não tinha
comida para todo mundo.

Às vezes, falta água nos treinos e até mesmo para beber
na casa. No jogo mesmo contra o River-PI no Albertão (ainda no primeiro turno)
não tinha água para a gente tomar.

Acabou o jogo e ficamos com sede – disse um jogador. 

É horrível.

Não recebemos nada até agora, a diretoria não está nem aí para gente. Precisamos pedir recursos para nossa família, se não fizermos isso não daria para continuar aqui”.

A comissão técnica do Caiçara se
resume apenas ao treinador Carlos Negretti. Não há preparadores físicos.

O
aquecimento do time no último jogo pelo estadual, por exemplo, foi comandando
pelo próprio treinador. Ao fim da partida, Negretti falou sobre a falta de
planejamento do clube.

 – Costumo falar nesta terra que
quem fez sair água da pedra foi só Jesus. Estamos trabalhando, não vamos deixar
o barco afundar não.

Futebol é uma coisa muito séria, não é só campo. Tem todo
o extracampo.

Quando você trabalha sério e com planejamento, as coisas
funcionam. Quando não.

..

– pontuou Negretti. No estadual, a campanha do
Caiçara soma cinco pontos em nove partidas: seis derrotas, dois empates e uma
vitória, 18 gols sofridos e oito marcados.

Um dos atletas que saiu do clube
lamentou ir embora, mas narrou que era a única decisão a tomar.  


A diretoria nem fala nada, não aparece aqui.

Está indo para o terceiro mês de
atraso, e nada. Estou indo embora, já deu para mim.

Decidi sair. É muito ruim
trabalhar assim sem ter condições.

Não tendo, fica difícil os resultados
aparecerem. Fico triste pela torcida, não merece um clube ficar nesta situação.

Nós jogadores demos o nosso melhor – ressaltou. 01caiçara rebate situação A diretoria do Caiçara informou que fez uma parceria com o grupo de empresários para a edição 2016 do Campeonato Piauiense.

O clube ficaria responsável pelo transporte e alimentação do elenco e comissão técnica enquanto os investidores tratariam da transferência de 22 atletas, compra de passagens aéreas e o pagamento dos salários. -Fizemos um contrato, está assinado, com as funções de cada um.

Ficamos sabendo que os empresários não estão repassando os salários, ainda não falamos com eles. Até quarta-feira, teremos um posicionamento sobre isso.

Os jogadores não estão indo embora, vamos conversar e dialogar com cada um. Depois de saber o que está acontecendo, vamos agir, atrás de parceiros para pagar os salários – disse Jair Alves, diretor de esporte profissional.

 Ele negou falta de estrutura no clube. – Isso não existe.

Um restaurante fornece água e alimentação – resumiu.  
.

Fonte: Globo Esporte