Não bastasse já estar rebaixado no Campeonato Cearense, o Icasa foi goleado pelo Itapipoca por 4 a 0, na tarde desta sexta-feira (25), na quinta rodada do quadrangular do descenso, no estádio Presidente Vargas. Se o Verdão do Cariri não tem nenhum ponto somado, o Itapipoca está na segunda colocação e, no momento, permanece na Série A do estadual. Um jogo que não é de brilho para nenhum um dos times vira especial para meninos que atuam pelo profissional dos dois clubes.

Um deles é Adalto Klinton, de 17 anos, volante do Icasa. Ele começou na escolinha do clube, sendo incorporado à base do Verdão do Cariri e, agora, ao profissional.

Estreou diante do Tiradentes no jogo passado do Icasa e, mesmo com o time rebaixado, é dedicado, devido à vitrine proporcionada nos duelos. Ele admite que o time de Juazeiro do Norte tem salários atrasados e que a situação é complicada, mas vê na adversidade a oportunidade de aparecer em campo.

 – Eu acho que a gente tem que pensar diferente. Já está rebaixado, não tem mais objetivo no Cearense, mas é bom para a gente mostrar o trabalho nos gramados.

É uma oportunidade – afirma o atleta. No Itapipoca, a situação é semelhante.

O banco de reservas é composto por jovens, que estrearam recentemente ou ainda esperam uma chance de mostrar o potencial. O clube também tem salários atrasados e está na batalha para seguir na elite do futebol estadual.

Um dos garotos que ainda não estreou no Moleque Travesso é o meia esquerdo, de 17 anos, Keslley Santos. – Eu me sinto honrado, porque quando era mais novo ia com o meu pai assistir aos jogos do Itapipoca e falava que queria jogar no time.

Agora, estou por aqui. Hoje, eu me sinto contente por estar no meu primeiro ano no Itapipoca.

A gente procura levar na boa, mas está complicado – explica o menino do Itapipoca. Com a bola rolando, o Itapipoca bateu o Icasa pelo placar de 4 a 0, com gols de Mimi e Vitinho, na primeira etapa, e de Torun e de Robson, na etapa complementar.

 
.

Fonte: Globo Esporte