Ex-presidente do São José entre 1993 e 1996, Henrique Ferro fez críticas à atual diretoria e ao conselho deliberativo do clube, que gerem o futebol profissional da Águia do Vale. Em entrevista após o rebaixamento dos joseenses para o Campeonato Paulista da Segunda Divisão, o ex-dirigente afirma que interesses políticos das últimas gestões atrapalharam os rumos da equipe, que amargou a segunda queda em três anos. A Águia cai para a quarta divisão do estado pela primeira vez em sua história.

– O clube começou a cair quando começaram a entrar interesses políticos de quem assumiu. Foi um desastre anunciado, pois o conselho foi omisso, pois deveria ter pedido o impeachment do presidente Geléia quando caiu para a A3.

Foram incompetentes, sem estrutura alguma para gerir o futebol. Foram todos com interesses políticos.

Usam da imagem do São José para aparecer e depois se candidatar. Foi assim com vários anteriores.

Eu nunca precisei de político na minha gestão (..

.) Subi o time com trabalho, reforcei o elenco trazendo jogadores experientes.

Um time que a cidade merecia – disse o advogado.SÃO JOSÉ NA SEGUNDONARelembre gafes cometidas na Série A3Torcida pede saída de GeléiaJogadores buscam explicação para quedaVeja post de Marcelo Hespaña no blog Na ResenhaJoseense, Ferro esteve no comando do São José no último título do clube, em 1996, na Copa Vale.

Neste mesmo ano, subiu para a elite do Campeonato Paulista com o zagueiro Roque Júnior, pentacampeão mundial com a Seleção em 2002 como um dos destaques. Depois da queda para a A2 em 1999, o time nunca mais voltou a jogar a primeira divisão do estadual.

– É o mesmo sentimento de toda da torcida do São José. É um
sentimento de tristeza total.

Na minha gestão,  subi com o time
para a primeira divisão do Campeonato Paulista e tinha a categoria de base como
filosofia. Revelei três jogadores que foram vendidos e foram para times
grandes: Roque Júnior (pentacampeão com a Seleção em 2002), Marcus Vinícius e
Sandro.

Foi um trabalho muito sério. Clube de futebol é uma empresa.

Tem que
ser levado com seriedade. Nunca tive um objetivo político sequer – afirmou.

O clube é comandado pelo presidente Benevides Ferneda, o Geléia, eleito em 2013. Em todos os torneios disputados disputados pela equipe na atual gestão, faltou estrutura adequada (relembre reportagem).

De acordo com o dirigente, também faltou apoio da cidade para conseguir recursos.No município com 688 mil habitantes, de acordo com o último levantamento do IBGE, Henrique Ferro crê que, com um trabalho sério, as portas poderiam se abrir para uma nova diretoria.

Sem muita disposição para trabalhar no futebol novamente, o advogado, no entanto, não vê um futuro tão bom para o São José. Em sua visão, mudanças drásticas precisam ser feitas no comando e nas pessoas que dirigem o clube.

 – O time precisa se reerguer das cinzas agora. Vir pessoas
mais jovens e tirar esses políticos que estão à frente do clube.

Tem vários
nomes que podem assumir o clube. Temos bons nomes na cidade – afirmou Henrique Ferro.

* Felipe Kyoshy colaborou
.

Fonte: Globo Esporte