No que depender de dois dos três filhos do atacante Robinho,
o jogador terá vida longa no Atlético-MG. O motivo é simples: Robson Júnior, de
oito anos, e Gianluca, que completa cinco anos em abril, estão maravilhados com
o centro de treinamentos do Galo. Nesta semana, enquanto o pai treinava sob o
comando de Diego Aguirre, os dois aprontavam brincadeiras dentro e fora de
campo.

Os dois não esconderam o orgulho do pai, a alegria neste início de
convivência no CT do Atlético-MG, e Gianluca aproveitou até para avisar que não
deve seguir os passos do pai. Ele promete ser dançarino: “Porque eu danço muito”
(assista ao vídeo).

Gianluca faz pose, pula, aprende a tirar foto com fotógrafos
da imprensa e se diverte muito na cidade do Galo. Robson Junior, enquanto isso,
não desgruda do pai e nem da bola.

Gianluca, que faz cinco anos em abril, não para um segundo no CT (Foto: Reprodução / SporTV)- Minha paixão sempre foi jogar bola. Meu primeiro brinquedo
foi uma bola, desde que eu era bebezinho eu gostava de futebol.

Os filhos do Robinho chegaram há pouco tempo a Belo
Horizonte e se impressionaram com a diferença do local para o centro de
treinamento do Santos, até então o único clube em que o pai havia jogado no
Brasil.- Porque o CT do Santos era “mó pequenininho” – disse Gianluca.

O irmão mais velho também não escondeu que a diversão tem sido grande, mesmo
que às vezes se perca no local.- (Aqui é) bem maior do que o CT do Santos, porque no CT do Santos
você dá a volta no campo e já acabou.

Aqui é legal, muito legal. Às vezes fico
meio perdido, mas procuro meu pai para falar o caminho.

Além da Cidade do Galo ser um dos melhores centros de
treinamento do país, os filhos do Robinho têm um outro motivo para se apaixonar
pelo Atlético-MG.- Eu estava assistindo ao jogo com ele (no Independência) e
os caras que estavam do lado do meu pai falaram: “Robinho, Robinho!!” –
contou Gianluca, relembrando os gritos para Robinho quando o jogador marcou
presença numa cabine do estádio na partida contra o Boa Esporte, pelo Mineiro,
no dia 21 de fevereiro, antes de estrear.

Sobre o desempenho do pai, Robson Junior mostrou que é
exigente. Mas também revelou como o atacante pode ganhar nota máxima.

– Na escala de 1 a 10, eu diria 9,5 – afirmou. Para dar nota
dez, ele pediu “cinco gols num jogo inteiro”.

Robson Junior não desgruda da bola e do pai durante treino do Atlético-MG (Foto: Reprodução / SporTV)Enquanto isso, Gianluca se desmancha em elogios a Robinho,
que também é pai de Giulia, de apenas oito meses.- Eu dou nota mil para ele.

Sinto orgulho (de ver ele
jogando futebol) – disse o pequeno, que já sabe o que quer fazer da vida.- Dançarino, porque eu danço muito – revelou.

Mas logo
avisou, antes mesmo de qualquer pedido: “Aqui, não”.Gianluca e Robson Júnior viverão neste próximo domingo novas
emoções, assim como o pai.

Robinho jogará seu primeiro clássico contra o
Cruzeiro às 11h, no Independência, pela nona rodada do Campeonato Mineiro. A
escalação do atacante está confirmada.

.

Fonte: Globo Esporte