Em busca de um lugar para jogar em 2016, o Flamengo recorreu a um rival para resolver o problema, mas não teve sucesso. O vice de futebol rubro-negro, Flávio Godinho, teve um encontro com Eurico Miranda, presidente do Vasco, para tratar da possibilidade de utilizar São Januário. O dirigente cruz-maltino, porém, foi taxativo: não há chance.

 – Sabe por que o Flamengo não pode jogar em São Januário? Como que vai jogar aqui se o presidente do clube diz que meu estádio não tem segurança? Claro que não vai ter (conversa). Não converso sobre isso – afirmou Eurico Miranda, por telefone.

 Procurado pela reportagem, Godinho se esquivou sobre São Januário, mas deixou no ar o interesse rubro-negro em mandar partidas no estádio do rival. – Ainda não conversamos sobre isso.

Meu almoço versou sobre Brasília, onde cada clube faturou R$ 800 mil limpinhos. Não vou em casa que não sou convidado, mas estou sempre pronto para discutir qualquer parceria que valorize o futebol carioca.

 A parceria em Brasília é a porta de entrada para novas parcerias comerciais. A rivalidade entre os clubes coirmãos deve ficar restrita às quatro linhas e às zoações da torcida.

Temos que levar o “showbusiness futebol” mais a sério – disse Godinho. A bronca de Eurico diz respeito ao clássico disputado entre Vasco e Flamengo em São Januário, em fevereiro.

Na época, Eduardo Bandeira de Mello, presidente rubro-negro, mostrou preocupação com a segurança no estádio. Os dois mandatários trocaram farpas publicamente.

Na partida, não houve maiores incidentes, mas torcedores flamenguistas depredaram o banheiro destinado a eles. 
.

Fonte: Globo Esporte