Como não poderia ser diferente, o técnico Alexandre Gallo encheu a bola do time da Ponte Preta após a goleada por 7 a 2 sobre o Água Santa, no último sábado, no Majestoso. Da aplicação tática ao capricho no ataque, ele foi só elogios aos comandados e lembrou que o placar poderia ter sido ainda mais elástico se todas as chances criadas fossem convertidas. VEJA TAMBÉM:> Wellington Paulista faz quatro gols pela 2ª vez na carreira e mira artilharia- Fica bom comentar com uma goleada assim, né.

É um placar atípico, que não acontece sempre. O time se dedicou muito desde o início.

Quando chegou ao quinto gol, sentiu o calor, que estava muito intenso, e o relaxamento é natural. Então acabamos tomando dois gols.

Depois retomamos o padrão, fizemos mais gols. Todo mundo se entregou bastante.

Fizemos sete, e poderia ser mais. Tivemos mais umas oito chances claras.

O mérito é todo dos atletas – afirmou. Eu falo para eles (jogadores) que confiança é como uma casa feita com tijolo, um em cima do outro, colocado com cuidado, construindo aos poucos para não desmoronar Por incrível que pareça, Alexandre Gallo tem razão.

A Macaca realmente teve outras oportunidades de ir às redes, principalmente no fim do primeiro tempo, quando parou pelo menos três vezes em Dheimison, e Fábio Ferreira ainda perdeu lance incrível. Na etapa final, a equipe foi mais eficiente e só tirou o pé depois do quinto gol (assista no vídeo acima).

Para Gallo, a vantagem numérica desde os 35 minutos de jogo, quando Pedro foi expulso, facilitou as coisas, mas não foi a principal responsável pela larga vantagem. – Já perdemos também com um a mais (contra o Mogi Mirim, também no Majestoso).

Então, foi a dedicação dos jogadores que fez a diferença – comentou. E MAIS:> WP9 ganha surpresa da mãe e se emocionaA atuação contra o Água Santa consolida a evolução da Macaca na reta final da primeira fase.

Depois de um início negativo e altos e baixos ao longo da campanha, a Ponte ganhou dois dos últimos três jogos (RB Brasil e agora Água Santa) e teve bom desempenho até mesmo na derrota por 2 a 1 para o Corinthians, resgatando a autoestima do elenco. – Eu falo para eles (jogadores) que confiança é como uma casa feita com tijolo, um em cima do outro, colocado com cuidado, construindo aos poucos para não desmoronar.

Ganhamos confiança contra o RB Brasil e o Corinthians, o que trouxe um aspecto psicológico importante de saber que podemos – finalizou o treinador. Com a confiança restabelecida, a Alvinegra deixou para trás a ameaça de rebaixamento e ainda tem chances de avançar às quartas de final.

Com 19 pontos, espera os resultados deste domingo para saber o cenário para a última rodada, no próximo domingo, contra o já rebaixado Rio Claro, às 16h, fora de casa. 
.

Fonte: Globo Esporte