A viagem antecipada do Grêmio para o Equador tem uma razão: aclimatação à altitude. Serão seis treinamentos em Quito após o trabalho na academia nesta quinta. Apenas um deles não será na Casa da Seleção do Equador, adotada como quartel general pelo Tricolor.

As instalações foram inspecionadas por integrantes da diretoria e comissão técnica antes do treino desta sexta-feira. Na parede, muitas imagens do grupo de jogadores equatorianos com Miller Bolaños.

 LEIA MAIS> FOTOS: conheça o QG do Grêmio em Quito> Bolaños treina com bola pela primeira vez> Grêmio leva lições de Toluca contra a altitudeO atacante será baixa em Quito, claro – voltou a treinar com bola nesta
sexta, após 33 dias. Mas está em diversas paredes do local.

A estrutura
foi considerada muito boa pelo preparador físico Rogério Dias, o
Rogerinho. O CT oferece academia, local para recuperação em banheiras de
hidromassagem e recuperação com gelo, refeitório, sala de jogos,
dormitórios e três campos, sendo um deles de grama sintética.

Outro é
utilizado exclusivamente pela seleção equatoriana. A programação do Grêmio em Quito prevê um treino na tarde desta sexta,
dois no sábado, um no domingo, um na segunda e um na terça.

Destes,
apenas o da véspera da partida com a LDU, na quarta, às 21h45 no horário
brasileiro, não será no QG – está marcado para o Estádio Casa Blanca.
Há, ainda um um treinamento previsto para quinta-feira, para aqueles que
não atuarão no jogo, novamente na casa da seleção equatoriana.

O Tricolor deve usar apenas as instalações da academia, onde há imagens de alguns atletas brasileiros, entre eles Ronaldinho Gaúcho, e um dos campos. O clube irá solicitar também para usar as áreas de recuperação física.

Neste sábado, serão dois turnos de trabalho, com início da academia e depois treino com bola. Pela proximidade, o Tricolor irá pedir para que possa usar o gramado exclusivo da Seleção.

Quando a reportagem do GloboEsporte.com estava no local, os representantes do Grêmio chegaram para uma última inspeção.

Estavam o diretor executivo Rui Costa, o vice de futebol Cesar Pacheco, o preparador físico Rogério Dias e o supervisor Marcelo Rudolph. – Uma estrutura de excelente condição, vai nos dar a condição de executar os treinamentos sem problemas.

Campos bons, regulares, estrutura de academia e estrutura de recuperação física. A princípio sim, estamos aguardando a confirmação, precisa fazer uma solicitação antecipada, mas acreditamos que teremos tudo à disposição – disse Rogério Dias.

 Para esta sexta, Walace e Bobô ainda devem permanecer no hotel. A dupla se recupera de problemas físicos sofridos na vitória sobre o Brasil de Pelotas, na última quarta, e passa por tratamento intensivo.

Como o trabalho ainda será regenerativo para quem jogou, caso dos dois, o planejamento não fica tão inalterado. A Casa da Seleção abrigou também o Atlético-MG, que deixou Quito nesta quinta, após a derrota por 3 a 2 para o Independiente del Valle.

Foi inaugurada em 2010, com a presença de Joseph Blatter, então presidente da Fifa, ao lado do presidente nacional, Rafael Correa. A área total tem sete hectares e abriga todas as categorias da seleção do país.

Confira as notícias do esporte gaúcho no globoesporte.com/rs
.

Fonte: Globo Esporte