Após ver 48 mil pessoas delirarem ao som dos Rolling Stones, no começo de março, o Beira-Rio está envolto a preparativos para ser palco de outra atração orquestrada com sotaque estrangeiro: a final do Campeonato Gaúcho de Futebol Americano. Ou melhor, o “Gigante Bowl”. Em parceria, Inter e Federação Gaúcha de Futebol Americano (FGFA) trabalham para replicar o lendário Super Bowl, da NFL, em solo gaúcho, com direito até a show musical no intervalo, no mês de junho.

LEIA MAIS> Beira-Rio sediará final do gaúcho de futebol americanoE o plano ousado não estaciona nas atrações. O Colorado e a FGFA miram alto para difundir o esporte americano no Rio Grande do Sul e projetam quebrar o recorde de público da modalidade em solo tupiniquim, de 14 mil pessoas.

A marca foi alcançada na final da Superliga Centro-Sul do Brasileiro de Futebol Americano, com vitória do Curitiba Crocodiles sobre o Cuiabá Arsenal, na Arena Pantanal, em novembro de 2015. A expectativa da diretoria é de alcançar 20 mil pessoas, com ingressos comercializados a preços populares.

– A gente tem em mente fazer um evento ao estilo do Super Bowl, recheado de atrações. Quem for ao Beira-Rio, não irá ver apenas um jogo de futebol americano.

Teremos dois times que brigaram muito para chegar até a final, mas também vamos ter um espetáculo muito bom. Dentro de uma realidade plausível, esperamos bater o recorde que a gente já alcançou no país.

Esse é nosso objetivo. Divulgar, não faturar – afirma ao GloboEsporte.

com o presidente da FGFA, Jeferson Mendes.Até o momento, o “Gigante Bowl” é costurado nos bastidores, entre reuniões de dirigentes de Inter e FGFA.

Resta ainda alinhar o esquema de segurança com o Comando de Policiamento da Capital (CPC). Um novo encontro na sexta-feira deve acertar os últimos ajustes para o anúncio oficial do estádio como sede do Super Bowl dos Pampas, em entrevista coletiva já na próxima semana.

Show no intervalo, cheerleaders e até torcedores como “kickers”A partir daí, as discussões tomarão curso para definir atrações e detalhes para o duelo, desenhado com o “conceito do Super Bowl”. Assim como a midiática e badalada final da NFL, a partida deve ter um show musical com coreografia durante o intervalo e cheerleaderes à beira do campo para animar a torcida, como já acontece nos jogos do Inter no Beira-Rio.

Por falar nos torcedores, o público também terá certo protagonismo, com interatividade durante a partida. A ideia é levar os fãs para tentar acertar o “kick” – o chute entre as traves em Y.

Os organizadores também planejam criar uma espécie de “fan zone”, com lojas para os presentes. Há ainda em curso tratativas para o jogo ser transmitido por uma emissora de televisão.

– Ainda temos tempo para organizar, mas está definido. Vai ter o conceito do Super Bowl.

É importante ter interatividade. Queremos pegar os torcedores para fazer o kick, queremos que ganhem prêmios também.

Teremos cheerleaders e um intervalo de atrações – destaca o vice de administração do Inter, Alexandre Limeira.Além das atrações para o público, Inter e FGFA trabalham para fazer alguns ajustes “simples” no Beira-Rio para a partida.

A demarcação das jardas no gramado será feita pelo próprio clube, assim como a “end zone”, que deve ser destinada ao logo de potenciais patrocinadores. A estrutura para as tradicionais traves para o “field goal” já foi solicitada a uma metalúrgica.

Em sua segunda edição organizada pela FGFA, em 2016, o Campeonato Gaúcho de Futebol americano abriga 10 equipes. Em 2015, a competição reuniu sete clubes.

O Juventude FA foi campeão, ao bater o Porto Alegre Pumpkins na final, por 28 a 6.Confira as notícias do esporte gaúcho no globoesporte.

com/rs 

.

Fonte: Globo Esporte