Apesar da derrota da Ponte Preta por 2 a 1 para o Corinthians, pela 13ª rodada do Campeonato Paulista, o goleiro João Carlos saiu de campo como um dos destaques da noite desta quarta-feira em Itaquera. Ao defender os pênaltis de Luciano e Romero, o camisa 1 da Macaca chegou a três defesas seguidas em cobranças da marca da cal. No último domingo, já havia parado Edmilson, na vitória por 3 a 0 sobre o RB Brasil.

O jogo estava 0 a 0 quando a arbitragem marcou falta dentro da área em carrinho de Jonas em Rodriguinho. Depois, já nos acréscimos do segundo tempo, Alessandro Darcie viu toque de mão de Fábio Ferreira ao tentar cortar passe de Romero.

Em ambos os lances nesta noite, as batidas foram cruzadas. João Carlos acertou o canto, espalmou e depois afastou o perigo – no segundo, com a ajuda da defesa.

E o goleiro não brilhou “apenas” nos dois pênaltis. Também salvou a Ponte com a bola rolando, principalmente em uma jogada com Giovanni Augusto.

 Pude fazer as defesas, mas o mais importante seria a vitória. Saio com o sentimento de frustração – Fico feliz com as defesas.

Dei uma olhada nas batidas do Romero, mas não teve a oportunidade de estudar o Luciano. Tentei esperar o máximo e acertar o canto – comentou João Carlos, de criticado no início do ano a um dos principais nomes da equipe nos últimos jogos.

 A atuação individual, porém, ficou em segundo plano para o goleiro diante do resultado negativo. Ele lamentou o revés em São Paulo e também reclamou dos critérios da arbitragem.

Na visão dos pontepretanos, houve um lance de bola na mão dentro da área, em batida de Felipe Azevedo cortada por Edilson, semelhante ao segundo pênalti a favor do Corinthians, mas Alessandro Darcie nada marcou. – Pude fazer as defesas, mas o mais importante seria a vitória.

Saio com o sentimento de frustração. A Ponte precisava desta vitória.

Jogamos bem, saio de cabeça erguida para buscar a vitória em casa. Teve um lance praticamente igual na área do Corinthians, mas o árbitro não usou o mesmo critério.

Saio chateado por isso. Se ele deu aqui que desse lá também – disse.

Com 16 pontos, a Macaca não eliminou o risco de rebaixamento e também se complicou na briga pela classificação às quartas de final. Segue tudo embolado, tanto em relação ao Z-6 como na disputa pelas vagas no Grupo B.

Restam duas partidas para a Ponte definir o destino. Sábado, recebe o Água Santa, às 16h, no Majestoso.

Depois, fecha contra o Rio Claro, fora. – Temos um sonho e vamos lutar até o fim.

O time vem evoluindo bem nas últimas partidas, vamos tentar vencer as duas e contar com uma combinação de resultados para avançar – finalizou o camisa 1 da Macaca. 
.

Fonte: Globo Esporte