Jonathan acertou sua transferência para o Fluminense em setembro de 2015, mas, diante da dificuldade para chegar em um bom condicionamento físico, só agora conseguiu o status de titular, após a chegada de Levir Culpi. O lateral-direito atuou contra o Flamengo e o Internacional e teve boas atuações, principalmente na última quarta, quando foi mais participativo também no ataque. Confiante, ele acredita que ainda vai corresponder a toda expectativa dos tricolores.

No Brasil, Jonathan ganhou destaque ao defender o Cruzeiro entre 2005 e 2010. Foi campeão mineiro três vezes e terminou o Brasileiro de 2009 como o melhor lateral-direito da competição.

Em 2011, ele integrou o elenco do Santos campeão da Taça Libertadores. Depois, foi contratado pelo Inter de Milão e passou por um período de empréstimo ao Parma.

Atualmente com 30 anos, ele prevê uma versão diferente de si daqui para frente.- Aquele Jonathan de 2009, talvez a torcida não veja mais, mas pode ver um Jonathan mais experiente, sempre com vontade de mostrar um bom futebol.

Não estou muito longe da minha forma técnica de outros anos, o que pesa mais é o condicionamento físico. A torcida pode ficar tranquila que vou poder render o que esperam de mim – afirmou.

Em sua última temporada na Itália, Jonathan fez apenas cinco partidas oficiais. A longa inatividade pesou e complicou sua tentativa de ganhar espaço no Flu, o que não aconteceu com Eduardo Baptista, que optou por Wellington Silva.

O lateral disse que nos últimos jogos teve cãibras, mas contra o Inter já conseguiu suportar melhor os 90 minutos.- Sem dúvida a maior dificuldade que encontrei foi não ter jogado tanto.

Ritmo de jogo é muito importante. Tive cãibras contra o Criciúma e Flamengo.

Contra o Flamengo já corri mais, tive mais intensidade. Me senti melhor contra o Internacional, não tive tanto cansaço.

Dei alguns tiros que ainda não tinha dado. A tendência agora é melhorar a confiança e o condicionamento.

 A melhora física e de desempenho de Jonathan ficou mais perceptível pela maior presença ofensiva contra os colorados. Ele, inclusive, fez uma jogada individual que por pouco não resultou em um gol para o Flu (assista no vídeo acima).

O jogador acredita que este tipo de lance poderá se tornar mais frequente.- Quando jogava no Cruzeiro, além dos zagueiros, havia um volante para proteção.

Eu ficava como um ala. A primeira função é defender para um lateral.

Ainda não estou 100% da minha forma física. Eu conseguindo, a minha chegada à frente vai acontecer com mais frequência.

Também precisamos ter mais posse no campo do adversário para isso acontecer – finalizou.O Fluminense volta a campo no próximo domingo, às 18h30, contra o Boavista, em Los Larios.

O Tricolor é o sexto colocado da Taça Guanabara com dois pontos em duas rodadas.
.

Fonte: Globo Esporte